Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASIL

Maia volta descartar um processo de impeachment

Presidente da Câmara diz que prioridade são ações contra coronavírus
28/04/2020 23:00 - Estadão Conteúdo


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a sinalizar que não deve pautar um pedido de impeachment contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, nesse momento. Em entrevista à TV Bandeirantes, o deputado voltou a falar sobre cuidado e paciência com o tema. "Temos de ter tranquilidade, equilíbrio e paciência", disse.

"Temos de ter prioridades. Houve conflito do presidente com o ministro e vai para o impeachment? Não é assim. Temos de ter equilíbrio, paciência. É claro que, quando você pede a moderação, o Brasil e o mundo está mais radicalizado, uns contra e outros a favor. Mas o nosso papel é tentar reduzir a projeção, por exemplo, que eu vi ontem do número da taxa de desemprego, que vai para no mínimo 16%", disse.

Ele disse ainda que é preciso que o governo atue com firmeza para garantir solvência de empresas e empregos. Segundo ele, a projeção é que informalidade chegue a 50% do mercado de trabalho no fim do ano.

Maia afirmou que há outros processos que envolvem o Palácio do Planalto que devem avançar. "Temos uma Comissão Parlamentar de Inquérito Mista da Fake News que vai avançar. Há o inquérito do ministro (do Supremo Tribunal Federal) Celso de Mello que vai avançar e nós vamos focar nas pautas de combate ao coronavírus. É fundamental, ficarmos focados nisso", disse.

"Acho que essa sinalização de tranquilidade a todos para que a gente possa garantir que o Brasil vá passar por essa fase emergencial", disse. Para ele, o plano é enfrentar o vírus no curto prazo e o desenvolvimento do País no médio e longo prazos.

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido