Clique aqui e veja as últimas notícias!

ELEIÇÕES

Maioria do eleitorado, mulheres são minoria entre os candidatos em Campo Grande

Em 121 anos de história, Capital terá duas candidatas à prefeitura e nove para o cargo de vice
13/10/2020 09:30 - Gabrielle Tavares


Concorrem à vice-prefeitura nove mulheres e sete homens. Mesmo com a maioria sendo feminina, o número ainda é equilibrado – duas pessoas de diferença. Distância que se torna gritante em relação aos candidatos à prefeitura: são duas mulheres contra 13 homens.

Em Campo Grande, porém, elas são a maioria do eleitorado. São mais de 50 mil mulheres a mais que homens. A Capital tem 331.490 eleitoras (54%) e 280.997 eleitores (46%).  

Entre intendentes nomeados e prefeitos eleitos democraticamente, a cidade teve cerca de 64 governantes em seus 121 anos de história. Somente uma dessas pessoas, Nely Bacha (MDB), que foi prefeita entre 14 de março e 20 de maio de 1983, era do gênero feminino.

No cargo de vice-prefeita, houve duas em Campo Grande. A primeira foi Marisa Serrano (PMDB), em 2005, e a segunda foi Adriane Lopes (PSD), em 2017, que concorre à reeleição neste ano, com Marcos Trad (PSD).

Apesar do baixo número, a taxa de mulheres candidatas aumentou no decorrer dos anos. Em 2008, Campo Grande teve duas mulheres e três homens como candidatos à vice-prefeitura; para prefeito foram quatro homens para uma mulher.

Em 1996, antes da popularização da internet e da criação das redes sociais e ainda das leis de incentivo que garantem a participação feminina na política, não houve candidatas aos cargos máximos no município. Foram cinco concorrentes à prefeitura, com seus respectivos vice-prefeitos, todos homens.

O mais longe que uma mulher chegou em uma eleição para prefeitura (Nelly Bacha foi nomeada) foi em 2016, quando a atual deputada federal, Rose Modesto (PSDB), perdeu no segundo turno para Marcos Trad.

REPRESENTATIVIDADE

O doutor em Ciência Política e professor na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Daniel Estevão Ramos considera que a procura dos partidos por rostos femininos para ocupar o cargo de vice-prefeita pode ser uma tática para conquistar votos, pautados em um discurso de representatividade.