Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Mandetta diz que continua no ministério: "só saio se o presidente achar que eu não sou mais útil"

Ministro da Saúde confirmou sua permanência no governo após discurso de Bolsonaro
25/03/2020 17:03 - Eduardo Miranda


O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse em entrevista coletiva em Brasília (DF), na tarde desta quarta-feira (25) que permanecerá no Ministério da Saúde. O médico campo-grandense disse que continua até a hora que o presidente Jair Bolsonaro achar que ele é útil no cargo. “Foi ele quem me nomeou”, disse.  

Mandetta também complementou, e também falou que também só sairia se tivesse alguma doença. “Ou um dia que eu achar que eu possa não ser mais útil”, disse, ao enumerar a terceira hipótese que levaria ele a deixar o cargo.  

“Nesse momento agora, eu vou trabalhar ao máximo, e a equipe está todinha focada”, afirmou.  

Na noite de terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro questionou várias medidas de isolamento social, algumas delas recomendadas pelo Ministério da Saúde, outras, impostas por governadores e prefeitos, como o fechamento de escolas. Bolsonaro também  voltou a relativizar a doença que já matou 57 pessoas no Brasil neste mês. “Não é uma gripezinha que vai me derrubar”, afirmou.  

Luiz Henrique Mandetta tentou explicar parte do discurso de Jair Bolsonaro. É preciso uma grande colaboração, e evitar abusos para podem evitar a circulação de mercadorias. O ministro também pediu mais bom senso ao definir o que são serviços essenciais. “Um chaveiro, por exemplo, é um serviço essencial”, lembrou. 

 

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!