Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EX-MINISTRO DA SAÚDE

De passagem por Campo Grande, Mandetta elogia trabalho de Marcos Trad

Primo do ex-ministro, Trad disse que visita foi cortesia e conversa informal
20/04/2020 17:54 - Adriel Mattos, Glaucea Vaccari


 

Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, se reuniu com o prefeito Marcos Trad (PSD), na manhã desta segunda-feira (20), no gabinete da Esplanada, em Campo Grande.  Marcos Trad, que é primo de Mandetta, disse ao Correio do Estado que a visita foi uma cortesia durante passagem do ministro pela Capital, cidade natal dele.

“Ele deu os parabéns, elogiou o trabalho feito, disse que Campo Grande está no caminho certo e elogiou o plano criado no enfrentamento ao coronavírus”, disse Trad.  

Ainda segundo o prefeito, não foram tratados assuntos oficiais, tendo em vista que Mandetta não ocupa cargo público, mas o ministro destacou as últimas ações no comando do Ministério. Trad também afirmou que não ofereceu nenhum cargo ao ex-ministro.  

No fim de março, quando ainda era ministro, Mandetta já havia elogiado o trabalho de Marcos Trad, durante coletiva no Ministério da Saúde. “O prefeito da minha cidade [Campo Grande], Marquinhos Trad, colocou de forma muita clara sua preocupação, já que a contágio começou pelas pessoas com planos de saúde, que tem 3 ou 4 cômodos em casa, pode fazer o isolamento, mas quando chegar na periferia é outra situação. “Suas decisões são para não sobrecarregar em bloco o seus sistema de saúde, e dá tempo de se organizar”, disse Mandetta na época.  

Presidente Jair Bolsonaro demitiu Mandetta na última quinta-feira (16) após semanas de desavenças entre ambos em torno da diretriz das políticas públicas de combate à pandemia do novo coronavírus. O novo ministro é o oncologista Nelson Teich, que tomou posse na sexta (17). 

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.