Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRISE DO CORONAVÍRUS

Mandetta pode ser demitido por Bolsonaro nesta segunda-feira

Exoneração seria feita logo após reunião ministerial, diz jornal
06/04/2020 15:09 - Eduardo Miranda


Reportagem do jornal O Globo informa que o ministro da Saúde, o sul-mato-grossense Luiz Henrique Mandetta, médico e ex-deputado federal pelo DEM, será demitido até o fim da tarde desta segunda-feira (6) do Ministério da Saúde. Conforme o jornal, o ato oficial da exoneração está sendo preparado no Palácio do Planalto, para esta tarde.  

A expectativa é que a decisão seja publicada em edição extra do Diário Oficial da União após reunião do presidente da República com todos os ministros, entre eles Mandetta, convocada para às 17h de Brasília (16h MS).  

Dois auxiliares da presidência da República foram as fontes do jornal O Globo. O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), ex-ministro da Cidadania, é o mais cotado para substituí-lo. Ele almoçou com Bolsonaro e os quatro ministros que despacham do Palácio do Planalto nesta segunda, Walter Braga Netto (Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

No domingo, Bolsonaro havia dito, sem citar nomes, que “algumas pessoas” do seu governo “de repente viraram estrelas e falam pelos cotovelos” e que ele não teria medo nem “pavor” de usar a caneta contra eles. No Palácio do Planalto, o diagnóstico é que a convivência entre Bolsonaro e Mandetta, que estava mais popular que o presidente, conforme pesquisas XP e Datafolha, tornou-se insuportável para o mandatário.

 

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.