Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ELEIÇÕES 2020

MDB cogita lançar o ex-governador André Puccinelli para prefeito de Campo Grande

Lideranças do MDB negociam com o PSDB; tucanos poderiam indicar João Rocha para vice
09/09/2020 09:30 - Da Redação


O ex-governador André Puccinelli está sendo cotado para ser o candidato pelo MDB à Prefeitura de Campo Grande, tendo como vice o vereador e presidente da Câmara Municipal, João Rocha, do PSDB. 

Os dois partidos articulam aliança para a disputa e os entendimentos estão bem avançados, podendo ser sacramentados até o dia 16, data final das convenções partidárias. 

“Se ele quiser, é o candidato”, afirmou fonte de um dos partidos, que fez questão de salientar que André deseja mesmo disputar o governo do Estado em 2022. 

A mesma fonte aproveitou para ressaltar a frase de que “política é igual nuvem”, pois muda toda hora.

O pré-candidato à disputa, deputado estadual Marcio Fernandes, seria convencido a abrir mão em favor de Puccinelli, que, além de governador do Estado por duas vezes, também esteve oito anos no comando político-administrativo de Campo Grande. 

Com isso, o MDB reuniria condições ainda maiores de retomar o poder depois de anos à frente do Executivo estadual. 

A possível substituição de Fernandes é tratada com muita cautela, mas é defendida por alguns setores políticos.

O presidente regional do MDB, Junior Mochi, ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, admitiu a existência do diálogo para eventual aliança

Ele disse que as duas legendas estarão caminhando juntas em alguns dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul. 

Assim, nas coligações, os tucanos saem como cabeça de chapa com um emedebista de vice-prefeito, ou ao contrário.

No caso de Campo Grande, ele não vê dificuldades para que seja fechada aliança semelhante. 

Mochi destacou que as lideranças emedebistas não colocaram “nenhum óbice” para estar no mesmo palanque com o PSDB.

Com relação à substituição do pré-candidato Marcio Fernandes pelo ex-governador André Puccinelli, o presidente estadual do partido assegurou que essa conversão não ocorreu oficialmente em nível de partido.

“Essa questão não foi tratada interna corporis”, afirmou Mochi.

Nos bastidores políticos, o que se fala é que há uma forte pressão para que André Puccinelli assuma a candidatura a prefeito. 

Junior Mochi reconhece que muitas pessoas ainda se lembram do período em que André administrou Campo Grande e que desejam que ele coloque seu nome na disputa.

Questionado se o ex-governador não teria problemas, por questões judiciais, para entrar na disputa, o presidente do MDB disse que nada o impede, voltando a frisar que o assunto de uma eventual candidatura não foi discutido pelo partido. 

“O ex-governador André Puccinelli, querendo, pode ser candidato a prefeito’’, afirma o advogado e ex-juiz eleitoral André Borges. 

“Não recai sobre ele nenhuma causa de inexigibilidade, sendo um político ficha-limpa, nos termos da lei’’, frisou.

Caso a aliança MDB-PSDB se concretize, o ninho tucano poderá enfrentar uma crise que ainda estava sendo tratada. 

A deputada federal Rose Modesto está se articulando para tentar ser candidata a prefeita, tendo como vice, na chapa, o presidente da Câmara Municipal, João Rocha. 

Até o dia 16, fim do prazo das convenções partidárias, mudanças podem acontecer.

 
 

Felpuda


Figurinha cuja eleição estava sub judice trabalha intensamente para ter a votação legalizada. Isso acontecendo, garante uma das cadeiras de vereador. Assim, quem hoje foi proclamado eleito vai para a fila da suplência.

Caso isso ocorra, a figurinha que corre o risco não deverá ficar desamparada, pois deixou secretaria municipal para disputar as eleições e poderá ter a cadeira de volta em 2021. Agora, resta esperar para ver onde vai parar.