Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÃO EUA

EUA: médico libera Trump para eventos públicos mas não comenta resultado de teste

Em memorando divulgado de ontem pela Casa Branca, o médico disse que Trump atendeu aos critérios do Centro de Controle e Prevenção de Doenças
11/10/2020 12:45 - Estadão Conteúdo


O médico da Casa Branca, Sean Conley, declarou na noite de ontem que o presidente Donald Trump não corria mais o risco de transmitir o coronavírus, mas não disse explicitamente se Trump havia testado negativo para o vírus. 

O diagnóstico veio enquanto o presidente se preparava para retomar os comícios de campanha e outras atividades.

Em memorando divulgado na noite de ontem pela Casa Branca, Conley disse que Trump atendeu aos critérios do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CNC, na sigla em inglês) para interromper o isolamento com segurança e que, pelos "padrões atualmente reconhecidos", ele não era mais considerado um risco de transmissão.

O texto, porém, não informa se Trump testou negativo para o vírus. Mas testes de laboratório sensíveis - como o teste de PCR citado nas declarações do médico - detectam vírus em amostras de cotonete retiradas do nariz e da garganta. 

William Morice, médico que supervisiona os laboratórios da Clínica Mayo, disse no início desta semana que, usando os testes de PCR, a equipe médica do presidente poderia hipoteticamente medir e rastrear a quantidade de vírus nas amostras ao longo do tempo e observar a redução da carga viral.

Alguns especialistas médicos duvidam que Trump pudesse ser declarado livre do risco de transmitir o vírus tão cedo. 

Apenas 10 dias desde o diagnóstico inicial de infecção, não havia como saber com certeza se alguém não era mais contagioso, afirmam.

Segundo Albert Ko, médico especialista em doenças infecciosas e chefe do departamento da Escola de Saúde Pública de Yale, a Casa Branca parecia estar seguindo as diretrizes do CDC para quando é apropriado encerrar o isolamento após casos leves a moderados de covid-19. 

Mas Ko alertou que aqueles que tiveram casos graves da doença devem se isolar por 20 dias e Trump foi tratado com o esteroide dexametasona - medicamento que normalmente é reservado para pacientes com covid grave.

Ko acrescentou que a Casa Branca emitiu declarações "complicadas" sobre a saúde de Trump que deixaram muitas perguntas sem resposta, incluindo se o presidente já teve pneumonia. 

O memorando afirmava que Trump havia chegado ao hospital dia 10 e, desde o início dos sintomas, estava sem febre por mais de 24 horas e que todos os sintomas haviam melhorado.

As diretrizes do CDC observam que a maioria das pessoas não exige testes para decidir quando podem ficar perto de outras pessoas. 

O médico ressalta ainda que as pessoas que tiveram covid-19 podem continuar testando positivo por semanas ou mais depois de não estarem mais infectadas.

 
 

Felpuda


Entre sussurros, nos bastidores políticos mais fechados, os comentários são que história apregoada por aí teria sido construída para encobrir o que realmente foi engendrado em conversa que resultou em negociata. 

O script foi na base do “você finge que é assim, e nós fingimos que acreditamos”. 

Batido o martelo, a encenação prosseguiu e, conforme o combinado, deverão ser apresentados novos episódios.

Ah, o poder!