Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GOVERNO

Ministro da Educação, Abraham Weintraub deixa o cargo

Anúncio foi feito pelo próprio Weintraub, na tarde desta quinta-feira
18/06/2020 15:31 - Da Redação


 

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou, em vídeo divulgado no Youtube, que deixará o cargo, nesta quinta-feira (18). Nome do substituto ainda não foi anunciado e Weintraub afirma que recebeu convite para ser diretor do Banco Mundial. (Veja o vídeo abaixo).

"Dessa vez é verdade. Eu tô saindo do MEC e vou começar a transição agora e nos próximos dias eu passo o bastão para o ministro que vai ficar no meu lugar, interino ou definitivo. Neste momento eu não quero discutir os motivos da minha saída, não cabe", disse o ministro no vídeo. 

Ele também aproveitou para agradecer o presidente. "Tô fechando um ciclo e começando outro e sigo apoiando o senhor [Bolsonaro] como fiz nos últimos três anos", afirmou.

Presidente Jair Bolsonaro também comenta sobre a saúde de Weintraub no mesmo vídeo.

"É um momento difícil, todos os meus compromissos de campanha continuam de pé. Busco implementá-lo da melhor forma possível. A confiança você não compra, você adquire. Todos que estão nos ouvindo agora são maiores de idade, sabem o que o Brasil está passando. E o momento é de confiança. Jamais deixaremos de lutar por liberdade. Eu faço o que o povo quiser", afirma Bolsonaro.

Weintraub assumiu o cargo em abril de 2019, após a saída de Ricardo Vélez Rodríguez, e permaneceu no posto por 14 meses. Nos últimos dias, houve aumento da pressão da ala política do governo pela substituição do ministro, que defendeu a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em reunião ministerial e, no último domingo (14), participou de um protesto com pautas antidemocráticas e inconstitucionais.

 
Weintraub anuncia demissão do Ministério da Educação - Reprodução
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...