Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ONU

"Aí é questão do presidente", diz vice Hamilton Mourão sobre acusação de Bolsonaro a índios e caboclos como responsáveis por incêndios

Para general, discurso do brasileiro seguiu a linha de outras lideranças mundiais sobre a situação internacional e interna de cada país
22/09/2020 16:00 - Estadão Conteúdo


O vice-presidente, Hamilton Mourão, concordou com o discurso do presidente Jair Bolsonaro na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), mas evitou avaliar a declaração em que o mandatário responsabilizou índios e caboclos por incêndios florestais. "Aí é questão do presidente, que tem os dados dele ali, então, não comento isso aí", disse.

Para Mourão, que coordena o Conselho da Amazônia, é preciso "contrapor a desinformação" quanto ao meio ambiente e destacou que a fala do presidente está dentro da visão do governo.

No pronunciamento gravado para a edição deste ano da assembleia, Bolsonaro afirmou que o País é vítima "de uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal".

"Que existe uma campanha de desinformação, existe. Isso aí eu já comentei, e compete a nós contrapormos. Agora, eu sempre deixo claro que a contraposição tem que se dar por duas vertentes: uma vertente de uma informação qualificada e a segunda vertente é de impedir que ilegalidades ocorram para não dar margem a esse tipo de pressão", declarou Mourão.

O vice-presidente avaliou que a fala de Bolsonaro seguiu a linha de demais discursos de lideranças mundiais sobre a situação internacional e interna de cada país. "(Foi) Seguindo ali a toada dos demais discursos que estão sendo colocados, os presidentes abordando a questão da pandemia, questão das relações internacionais, situação do mundo como um todo, questão da Organização Mundial do Comércio. No nosso caso, a questão do meio ambiente. Foi abordado dentro da nossa visão", afirmou.

Nesta terça-feira, 22, o vice-presidente deve sobrevoar áreas atingidas por queimadas nos Estados do Acre e Rondônia. "Está meio difícil lá porque está muito cheio de nuvem, começou a chover, mas vamos tentar conseguir sobrevoar", comentou.

 
 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.