Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ACORDO

Eleições municipais devem ser adiadas para novembro

Mudança da data depende de emenda à Constituição; ministros, parlamentares e especialistas chegaram a consenso
16/06/2020 21:57 - Eduardo Miranda


 

Se for confirmado em plenário do Congresso Nacional, as eleições municipais deste ano devem ser adiadas do mês de outubro para novembro. 

Reunião realizada nesta terça-feira (16), entre o ministro Luis Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, e vários congressistas, entre os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM) e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), definiu as novas datas do pleito em consenso: 15 de novembro, para o primeiro turno, de 29 de novembro para o segundo turno.  

A mudança do calendário eleitoral, conforme informou o senador Nelson Trad Filho (PSD), depende de emenda constitucional, que deve ser votada em breve. 

A Constituição estabelece que as eleições no Brasil devem ser realizadas no primeiro e último domingo de outubro. Neste ano, as datas seriam 4 e 25.  

O motivo para alteração da data das eleições municipais é a pandemia de coronavírus. As medidas de isolamento social já prejudicam a organização dos partidos, e podem interferir na campanha, e até mesmo no ato da votação, por causa do toque dos eleitores nas teclas das urnas e nos instrumentos de biometria.  

Além de Barroso, Maia e Alcolumbre, a reunião contou com a participação do vice-presidente do TSE, Edson Fachin e de renomados médicos e cientistas como David Uip; Clovis Arns da Cunha; Esper Kallás; Ana Ribeiro; Roberto Kraenkel; Paulo Lotufo; Gonzalo Vecina; e Atila Iamarino. Também participaram diversos líderes partidários das duas Casas do Congresso Nacional, entre eles o senador Nelson Trad Filho.

SUGESTÕES

O médico David Uip pontuou que o Brasil é um país continental e, por essa razão, a doença se manifesta de forma heterogênea dependendo de cada região. 

Entre as sugestões apresentadas para além do adiamento do pleito, há a possibilidade de horários estendidos para a votação, definição de horários específicos para população vulnerável, treinamento e simulação sobre medidas de higiene para todos que vão trabalhar e aumento dos locais de votação para evitar aglomerações.

 
Senador Nelson Trad Filho fala sobre o adiamento das eleições - Divulgação
 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...