Política

Política

Obras de Lídia Baís são tema de oficina no Marco

Obras de Lídia Baís são tema de oficina no Marco

Redação

22/02/2010 - 03h26
Continue lendo...

A próxima edição do projeto “Fazendo arte no Marco”, do Museu de Arte Contemporânea, marcada para 28 de fevereiro, terá as obras de Lídia Baís como inspiração para as crianças. Elas são convidadas a realizar trabalhos a partir das telas da artista, que é uma das expoentes das artes plásticas e mais importante figura feminina modernista em Mato Grosso do Sul. Lídia Baís viveu entre 1901 e 1985. Seu pai, Bernardo Franco Baís, foi um dos fundadores da cidade e comerciante de sucesso. Após passar por vários internatos, Lídia foi morar no Rio de Janeiro para estudar pintura com Henrique Bernadelli em 1926. No ano seguinte, fez uma viagem com o tio Vespasiano Martins para a Europa e entrou em contato com o surrealismo. O enfoque do trabalho com as crianças terá como tema as obras libertas do academicismo, em que a artista transita pelo campo onírico surrealista. A atividade acontecerá das 15h às 17h com valor simbólico de R$ 1. As vagas são limitadas. O museu fica na Rua Antônio Maria Coelho, 6.000, Parque das Nações Indígenas.

ELEIÇÕES 2024

Nem candidata nem vice comparecem à convenção do PT na Capital

A alegação é de que Zeca e Camila Jara tinham outros compromissos, mas ninguém quis informar qual seria o compromisso da deputada, que nem nas redes sociais se manifestou.

20/07/2024 13h00

em convenção do PT, Pedro Kemp dialogou sobre estratégias do partido para a corrida eleitoral

em convenção do PT, Pedro Kemp dialogou sobre estratégias do partido para a corrida eleitoral Foto: Alexandra Cavalcanti

Continue Lendo...


A corrida eleitoral do Partido dos Trabalhadores pelo comando da prefeitura de Campo Grande, neste sábado (20), foi marcada pela ausência dos principais interessado pelos cargos, a deputada federal  Camila Jara e o deputado estadual Zeca do PT, respectivamente candidatos a prefeito e vice. 

Durante a conveção do partido, que lançou 30 candidatos para a disputa das 29 vagas de vereador de Campo Grande, o presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores, Agamenon Rodrigues, justificou a ausência dos pré-candidatos em razão da agenda de ambos, que já tinham compromissos agendados previamente.

Zeca, segundo a assessoria do PT, estaria em uma agenda em Amambai, no sul do Estado. Sobre o suposto compromisso de Camila Jara, porém, ninguém quis se pronunciar. Sempre ativa nas redes sociais, com pelo menos três postagens diárias, nem mesmo no Instagran ela havia se manifestado até 13 horas deste sábado. A última postagem foi por volta das 22 horas de sexta-feira, quando falou sobre uma entrevista que concedeu a um jornal semanário da Capital.

Apesar da falta, o presidente do diretório afirmou que em breve o partido realizará outro evento com a presença da candidata e do vice, mas que dessa vez será “maior e também contará com a presença da Deputada Federal, Gleisi Hoffmann”, presidente nacional do PT.

Mesmo sem a presença deles, o presidente do diretório confirmou o nome  dos dos deputados para a disputa eleitoral da Prefeitura de Campo Grande. O anúncio foi feito por Agamenon, acompanhado do deputado estadual Pedro Kemp (PT). 

De acordo com Pedro Kemp, a escolha da deputada Camila Jara para prefeita surgiu no início do ano e foi pensada de maneira estratégica para contemplar um projeto de juventude do partido para a cidade. Já o vice, Zeca, foi convidado recentemente para compor a chapa eleitoral. 
    
“Já no início do ano pensamos na candidatura da Camila. Agora, mais recentemente, numa reunião interna nossa, fizemos um convite para o ex-governador Zeca do PT e, de pronto, ele aceitou e colocou o nome dele a posição de candidato a vice na chapa”, comentou o Deputado. 

Otimismo

Além do anúncio da candidatura, o deputado também reforçou que não restam dúvidas de que a candidata alcance o segundo turno das eleições na capital. Segundo ele, o partido  deve contar de início com o apoio daqueles que votaram no atual presidente Lula na última eleição. 

“Essa é a nossa primeira estratégia, buscar quem votou no Lula na eleição passada Vota na Camila, vota no Zeca, já vai garantir a nossa vaga no segundo turno. E no segundo turno, nós vamos dialogar com a cidade.”, comentou Kemp, com tom otimista. 

Não somente, de acordo com o atual candidato a vereador, Jean Ferreira, o partido não só acredita que a candidata vá ao segundo turno, mas que também terá o apoio de outros partidos próximos para a corrida eleitoral. 

“Acreditamos que levaremos a Camila pro segundo turno, né? Tanto que estamos fortalecendo a campanha dela pra isso. O partido tem as suas aproximações, mas a princípio a gente conta com que essas aproximações venham conosco para o segundo turno”, comentou o pré-candidato a vereador de Campo Grande.

 

ELEIÇÕES 2024

Capitão Contar não descarta ser vice de Adriane, que celebra a possível aliança

A prefeita de Campo Grande lançou oficialmente a pré-campanha à reeleição, mas não revelou quem será seu vice

20/07/2024 08h00

A prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP), no lançamento da sua pré-campanha à reeleição

A prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP), no lançamento da sua pré-campanha à reeleição Foto: Gerson Oliveira

Continue Lendo...

O ex-deputado estadual Capitão Contar (PRTB) confirmou, com exclusividade ao Correio do Estado, que não está descartada a possibilidade de ser o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pela prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP), que lançou oficialmente na noite de sexta-feira a pré-campanha à reeleição no pleito do próximo dia 6 de outubro.

 “Tenho muita coisa para alinhar antes de qualquer definição. Ainda vou conversar com o presidente Jair Bolsonaro (PL) novamente para tomar essa decisão”, declarou o militar da reserva do Exército.

Para o Capitão Contar, essa é uma aliança que precisa ser muito bem costurada para não ter pontas soltas que mais para a frente deem problemas. Além disso, o nome de Adriane Lopes tem certa rejeição junto aos bolsonaristas e isso precisa ser levado em consideração.

Entretanto, pesa a favor da aliança do ex-deputado estadual com Adriane Lopes o fato de a prefeita não poder mais disputar a eleição municipal de 2028, abrindo caminho para que o Capitão Contar possa ser o legítimo sucessor ao cargo de chefe do Executivo da Capital.

O Correio do Estado conversou, também com exclusividade, com a prefeita Adriane Lopes durante o lançamento oficial da sua pré-campanha sobre a possibilidade de o Capitão Contar aceitar o convite para ser o seu vice e ela ficou muito contente com a chance. 

 “As alianças são muito bem-vindas e eu tenho um bom relacionamento com o Contar. Se ele vier para coligar conosco, eu vou ficar muito feliz. Trata-se de uma pessoa séria e responsável, além de ser conservador, de direita e que defende os mesmos valores que eu defendo”, declarou.
 

O EVENTO

Acompanhada do esposo, deputado estadual Lídio Lopes (sem partido), da senadora Tereza Cristina (PP-MS) e do deputado federal Dr. Luiz Ovando (PP-MS), Adriane Lopes afirmou que “não tem medo dos poderosos”, que está confiante com o trabalho feito e se intitulou como a “única mulher prefeita conservadora de capitais do Brasil”.

O lançamento da pré-campanha foi no Bairro Vivendas do Bosque e, além de políticos, contou com a participação de apoiadores vestidos de verde e amarelo, a pedido da prefeita. Ela assumiu a chefia do Executivo municipal em 2022, quando o então prefeito Marquinhos Trad, que na época era do PSD e hoje está no PDT, do qual era vice, renunciou para concorrer às eleições gerais para governador, que terminou com Eduardo Riedel (PSDB) eleito.

Ela tentará, neste ano, ser a primeira prefeita eleita por voto na Capital e destacou que já sofreu preconceitos por ser mulher, além de ressaltar o trabalho realizado nos últimos dois anos à frente da gestão municipal. 

“Vocês sabem como eu assumi a gestão, muitos sabem as batalhas travadas, as noites sem dormir, os desafios e muitos ainda disseram: ‘ela não vai dar conta’. Estamos aqui para celebrar avanços, conquistas, fizemos o que ninguém fez nessa cidade, se disserem que não tem problemas, vão estar mentindo, uma cidade de quase um milhão de habitantes tem problemas sim, não vamos maquiar, mas com equipe, trabalho sério e responsabilidade, nós temos coragem para fazer o certo”, discursou.

 Adriane Lopes completou que não tem “medo dos poderosos deste estado, já sofri muito preconceito, mas a senadora Tereza Cristina sempre disse que ‘nunca seja vítima, avance com coragem, vá com fé, força e determinação e não abaixe a cabeça para nenhuma situação”. “Quando se assume a gestão, assume o que é bom e o que é ruim e o que é ruim estamos dando solução”, disse.

Ao fim do discurso, ela afirmou que Campo Grande não está à venda e que ela espera continuar com o trabalho de fazer da Capital uma capital de oportunidades.

A senadora Tereza Cristina e, sem citar nomes, destacou que os percalços, como o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro, que era esperado, mas acabou não se concretizando, não a farão soltar a mão de Adriane Lopes.

“O PP está muito feliz de estar lançando a única prefeita conservadora. Eu sei os cachos de banana que puseram no seu caminho para você cair, mas você, a cada dia, acorda disposta e vai lá sem mimimi e vencer, passa por cima e resolve os problemas. Cada dificuldade que colocam na nossa frente, nos dá mais força”, afirmou.

“Campo Grande precisa da continuidade e da estabilidade de alguém que conheça suas demandas e tenha capacidade para resolvê-las. As alianças regionais devem compartilhar nossos princípios, que devem respeitar o nosso alinhamento nacional. Fazemos parte de um projeto maior, rumo a um Brasil soberano, forte e respeitado, mas Campo Grande merece e exige continuar no caminho certo e você é a única pré-candidata nesta cidade que representa de verdade esses valores: pátria, liberdade e família”, acrescentou a senadora.

O deputado federal Dr. Luiz Ovando também citou o que chamou de casca de banana no caminho de Adriane Lopes. “A prefeita foi vítima e todos fomos pegos de surpresa por atitudes hostis, infidelidade e agressividade em que se jogou tudo na lata do lixo, não só a casca de banana, mas a penca inteira na tentativa de derrubar a prefeita. Não podemos aceitar esse tipo de comportamento, não se pode aceitar atitudes rasteiras de quem quer que seja, venha de onde vier, nós vamos vencer”, discursou.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).