Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ELEIÇÕES 2020

Partidos reinventam convenções para aquecer clima eleitoral e conquistar votos

Na primeira campanha do período democrático sem o bom e velho corpo a corpo, criatividade se torna arma para fazer barulho nos eventos partidários
12/09/2020 09:00 - Marcos Pierry


Novos tempos, novas formas de sociabilidade e de mobilização político-partidária. 

Com a pandemia e as regras de isolamento social, os partidos têm buscado formas diferenciadas de realizar suas convenções para oficialização de candidatos e apoios visando o primeiro turno da eleição, no dia 15 de novembro.

Até quarta-feira (16), data limite para o Tribunal Regional Eleitoral homologar todas as candidaturas a prefeito, vice-prefeito e vereadores, pelo menos dez partidos ainda vão realizar suas convenções municipais em Campo Grande. 

Algumas legendas estão inovando no formato com o objetivo de manter os cuidados preventivos contra a Covid-19 – sem perder fôlego junto à militância.

Depois do formato drive-in, adotado pelo Avante, que realizou sua convenção na noite de sexta-feira, no estacionamento do Shopping Bosque dos Ipês, para confirmar o procurador de Justiça Sérgio Harfouche e o ex-policial e vereador André Salineiro como candidatos a prefeito e vice, sábado é a vez do PV e do PSL.

Presença animal

Neste sábado, o Partido Verde, que chegou a cogitar o evento com os correligionários em local fechado, realiza a sua convenção no esquema walk-thru, ou seja, durante uma caminhada, das 8h às 10h, na Alameda Arquiteta Íres Ebner – Avenida Nelly Martins (Via Parque), entre a RuasPernambuco e a Rua das Garças.

Painéis com os programas de governo do PV para Campo Grande, ações de promoção a práticas de sustentabilidade ecológica e presença de animais de estimação fazem parte da estratégia para a oficialização das candidaturas de Marcelo Bluma a prefeito, Pastor Alvarenga a vice e da chapa com 43 candidatos ao cargo de vereador da legenda. 

“Sabemos dos prejuízos que a pandemia causa, por isso, mesmo mantendo a convenção no formato presencial, estaremos atentos às medidas de biossegurança”, afirma Eloildo Gama, que preside o diretório municipal do PV.

 
 

Virtual, mas nem tanto

Na quarta-feira, o Podemos realiza, de modo virtual, a convenção para oficializar o nome de Sérgio Murilo como cabeça de chapa à prefeitura. 

O partido não adianta seu provável vice nem o número de candidatos à Câmara.  

O Rede, que faz convenção também na quarta, último dia para anúncio de candidatos, optou pela modalidade meio a meio, ou mista, como o partido tem chamado a sua proposta de fazer o evento simultaneamente de modo presencial e pela web, a partir das 18h. 

Em pauta, uma vez mais, a manutenção do apoio ao atual prefeito da capital e o anúncio da quantidade de concorrentes para as 29 vagas da Câmara.

O PSL mudou, de última hora, o dia de sua convenção, que seria hoje e foi transferida para amanhã, 13h30, pela plataforma virtual Zoom. Sem informar a estratégia ou nome do candidato a vice, o partido deve oficializar a candidatura do vereador Vinícius Siqueira, que até o mês de abril era filiado ao Democratas. Um dos itens da pauta da convenção é a possibilidade de coligação.

Face e Youtube

Domingo (13) será a vez do PT e segunda-feira (14) do PSB confirmarem seus nomes. 

O Partido dos Trabalhadores, a partir das 9h, transmite por Facebook e YouTube a homologação dos nomes do deputado estadual Pedro Kemp para prefeito e de Eloísa Castro Berro, ex-secretária de Estado de Assistência Social, para o cargo de vice-prefeita. 

Também será anunciada a chapa de 44 candidatos a vereador, sendo 23 homens e 21 mulheres. Vale ressaltar: a legislação obriga um mínimo de 30% de mulheres candidatas por legenda. 

No PSB, que optou por um evento presencial, a novidade ficará por conta da ratificação dos candidatos a vereador, uma vez que a legenda já confirmou o apoio à reeleição do atual prefeito, Marcos Trad.

MDB: quem será o vice?

O partido do prefeito, PSD, deixou a convenção para terça-feira (15), véspera do encerramento do prazo, com início às 14h. 

O evento será realizado presencialmente, no diretório da sigla (Jardim dos Estados). No modelo padrão de corpo presente, entre as convenções com data confirmada, restam MDB e PSDB.

O MDB realiza a sua também na terça-feira. Com nome do deputado estadual Márcio Fernandes como cabeça de chapa, o partido precisa ainda definir o seu nome a vice. André Puccinelli chegou a ser cotado para compor a chapa com o deputado Fernandes, mas seu nome já foi descartado. 

Ficam ainda duas opções no ar, ambas desconhecidas, mas, segundo apurou o Correio do Estado, são dois nomes filiados ao partido – um é homem e já pré-candidato a vereador; a outra, mulher com carreira militar.

Com convenção marcada para quarta-feira à tarde, no diretório do partido, o PSDB, que vinha até então fechado em torno do nome do vereador João Rocha para integrar a chapa do prefeito Marcos Trad, sofreu abalo na quinta-feira, com a deputada federal Rose Modesto voltando a manifestar desejo de candidatura própria do partido na corrida eleitoral municipal. 

No mesmo dia, os tucanos divulgaram uma nota reafirmando a opção pela dobradinha Trad-Rocha.

Mulheres no comando

Pelo visto, se não houver nenhuma reviravolta, das 15 candidaturas previstas para o pleito na cidade, apenas o Psol terá uma mulher como cabeça de chapa. 

O diretório municipal da sigla também optou pelo último dia permitido para as convenções partidárias e realizará a sua, na quarta-feira, apenas para confirmar a candidatura a prefeita da psicóloga Cris Duarte, anunciada em maio, ao lado de outra mulher como vice, a líder indígena terena Val Eloy. 

O partido, que, para o cargo da vice, prefere usar o termo “coprefeita”, terá dez nomes concorrendo a uma das 29 vagas da Câmara Municipal.

Outra legenda que fará a convenção somente na quarta-feira é o PSC, a partir das 19h, em que deve confirmar na disputa o pré-candidato Paulo Matos.

 

Felpuda


Esforços vêm sendo feitos por certos candidatos derrotados na tentativa de conseguir emplacar em cargos públicos comissionados alguns ex-integrantes das equipes de trabalho da campanha eleitoral.

A preocupação não seria, na realidade, com situação de dificuldades que essas pessoas enfrentariam a partir de agora, mas, sim, para livrarem-se de pagar pendências trabalhistas referentes ao período da disputa. Tem cada uma!