Política

SUCESSÃO EM DOURADOS

A+ A-

PMDB negocia com DEM sem tirar o olho da prefeitura

PMDB negocia com DEM sem tirar o olho da prefeitura

lidiane kober

19/12/2010 - 00h30
Continue lendo...

Com a desistência do deputado federal Geraldo Resende (PMDB) de concorrer à Prefeitura de Dourados, o PMDB sinaliza apoio ao vice-governador Murilo Zauith (DEM) e ao mesmo tempo tenta viabilizar a candidatura da prefeitura interina Délia Razuk em uma aliança com o PT. O divisor de águas deverá ser o resultado da pesquisa de opinião pública encomendada pelo partido. Se o levantamento indicar chances para Délia, ela deverá entrar na disputa. “Estamos aguardando a pesquisa para colocar o bloco na rua”, disse o presidente municipal do PMDB, vereador Laudir Munaretto. Sobre a possibilidade de unir-se a Murilo na disputa, ele manifestou dúvidas. “A princípio não, mas vamos aguardar o resultado da pesquisa”, declarou.

Por outro lado, lideranças importantes do partido, como o governador André Puccinelli e Geraldo Resende, entendem ser melhor para o município candidatura única, formada com ampla coalizão partidária para “tirar Dourados do buraco”. O nome mais cotado para assumir a responsabilidade é o de Murilo, que já fechou aliança com o PR, PPS e PV e caminha para ganhar o apoio do PSDB e do PDT.

Enquanto isso, Laudir avalia que a melhor opção é Délia. “Ela já está no comando da administração, formou sua equipe, enquanto isso, uma outra pessoa só assumirá em março e precisará montar seu secretariado, por isso, terá praticamente apenas um ano para administrar de fato”, opinou.  Laudir está na Câmara no lugar de Délia, portanto, na hipótese de ela voltar precisará deixar a vaga de vereador. “Não nasci vereador, por isso, não me importo de voltar para casa”, garantiu.

PT
Na tentativa de viabilizar a candidatura de Délia, lideranças do PMDB propuseram parceria com os petistas. “Esperamos que o PT venha somar conosco”, afirmou Laudir. O problema é que os petistas estão totalmente divididos. Um grupo defende candidatura própria, outro prefere apoiar Murilo e outra parcela pensa em caminhar com o PMDB. “Temos 152 delegados e são eles quem vão decidir”, ressaltou o presidente municipal do partido, Pedro Alves Ferreira. “Vamos seguir a tradição de respeitar a vontade da maioria”, completou.

Para os representantes da corrente Articulação de Esquerda, liderada pelo vereador Elias Ishy, o melhor caminho para o partido seguir é lançar candidato próprio, inclusive Elias já registrou sua intenção de representar o partido na eleição.

Por outro lado, há uma tendência forte de apoiar a pré-candidatura de Murilo. “Conversamos com representantes dos partidos do Campo Democrático Popular (PSDB, PTN, PV, e PSB) – nossos tradicionais parceiros – e todos manifestaram preferência por uma aliança com o DEM”, ponderou Pedro. “Tem ainda o PMDB que fez proposta de aliança conosco”, acrescentou.

As dúvidas sobre o caminho dos petistas acabará na próxima terça-feira (21), quando o partido realiza sua convenção. Na mesma data, o DEM homologará a candidatura de Murilo. Já o PMDB fará o seu encontro no dia 26.

Diplomação

Após cassação de Rafael Tavares, Paulo Duarte é novo deputado de MS

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) retotalizou votos após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) constar fraudes por por não cumprimento de cota de gênero nas eleições de 2022.

01/03/2024 16h37

Foto: Luciana Nassar/Alems

Continue Lendo...

Após a cassação de Rafael Tavares (PRTB), por abuso de poder e fraude nas eleições de 2022, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) apresentou na tarde de hoje (1), Paulo Duarte (PRTB) como novo deputado estadual de Mato Grosso do Sul.  

A diplomação ocorreu após a retotalização dos votos nas últimas eleições estaduais. Paulo Duarte retorna à Assembleia Legislativa para o seu 4º mandato.  

Divulgação/ TRE-MS

O novo deputado estadual recebeu as escrituras diretamente nas mãos do diretor do TRE-MS, o Desembargador Paschoal Carmello Leandro, que esteve presente na ceminônia. 

Durante a diplomação, o deputado relatou o alerta sobre respeito às regras eleitorais e o cumprimento de cotas pelos partidos.  

"Isso não aconteceu somente em Mato Grosso do Sul, mas no Brasil inteiro. Por isso é bom ressaltar a todos os partidos, inclusive ao meu, que teve gente cassada por conta disso. O que aconteceu não tem política e nem partido e sim uma regra que precisa ser cumprida", expressou o deputado.  

Cassação por fraude na cota de gênero nas eleições de 2022

No último dia 26 de fevereiro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) comunicou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE),sobre a apelação rejeitada pelo deputado estadual Rafael Tavares, do PRTB.

Decisão da corte máxima eleitoral confirmou a cassação de Tavares, que já havia sido decidida pela corte eleitoral de MS, o TRE.

O deputado em questão perdeu o mandato por abuso de poder e fraude na cota de gênero nas eleições de 2022. Tavares tinha sido eleito pelo primeira vez.

No lugar do então deputado do PRTB, a ALMS deve diplomar "de imediato", conforme determinou o TSE, o ex-deputado estadual Paulo Duarte, do PSB, que era o primeiro suplente.

O decidido em questão entra para a história do parlamento estadual, em atividade desde 1979, há 45 anos.

O TSE definiu o processo que motivou a cassação no dia 6 deste mês.

De acordo com o ministro Raul Araújo Filho, que foi relator do Recurso Ordinário Eleitoral número 0601822-64.2022.6.12.0000, impetrado pelo PRTB, ficou comprovado que o partido de Tavares lançou duas candidatas fictícias para cumprir o porcentual de 30% previsto em lei para mulheres e que teve anulados os votos recebidos para o cargo de deputado estadual.. 

 

*Colaborou Celso Bejarano. 

DANÇA DAS CADEIRAS

Marco Aurélio Santullo será o novo secretário de Governo de Adriane Lopes

O presidente estadual do PP vai substituir João Rocha, que deixa o cargo para voltar à Câmara Municipal e tentar a reeleição

01/03/2024 16h14

A senadora Tereza Cristina ao lado de Marco Aurélio Santullo, que vai assumir a Secretaria de Governo de Campo Grande Arquivo

Continue Lendo...

O presidente estadual do PP, Marco Aurélio Santullo, vai assumir o cargo de secretário municipal de Governo e Relações Institucionais de Campo Grande em substituição ao vereador João Rocha (PP), que retornará para a Câmara Municipal para tentar a reeleição no pleito deste ano.
 
Segundo o Correio do Estado apurou, a nomeação de Marco Aurélio Santullo para o cargo será na próxima quarta-feira (6) e a posse na quinta-feira (7) para que a senadora Tereza Cristina (PP-MS), principal liderança da legenda, possa participar do ato.
 
Para que possa continuar também com as funções de presidente estadual do PP, ele terá como secretário-adjunto o ex-presidente municipal do MDB em Campo Grande, Ulisses Rocha, que já se desligou do antigo partido para compor a equipe do novo secretário.
 
Homem de confiança da senadora Tereza Cristina, Marco Aurélio Santullo tem a missão de organizar o partido para a campanha eleitoral do PP para as eleições municipais do próximo dia 6 de outubro.
 
Além disso, caberá a ele manter a administração da prefeita Adriane Lopes nos trilhos na questão de articulação política com os vereadores e demais poderes, incluindo o governo do Estado. 
 
No caso das negociações com o governador Eduardo Riedel, Santullo não terá problemas, pois, além de já ter ocupado o cargo diretor-presidente da Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), é amigo pessoal do chefe do Executivo estadual.

Currículo

Nascido no dia 5 de março de 1963, no município de Aquidauana (MS), filho de Letícia de Moraes Santullo e Dante Santullo, Marco Aurélio Santullo passou a infância trabalhando como entregador de jornal e office-boy da Apemat.
 
Filho de ferroviário, ele mudou-se para Campo Grande (MS) em 1978 para completar o antigo segundo grau – atual Ensino Médio. Começou sua carreira no serviço público sendo auxiliar-administrativo na Secretaria Estadual de Saúde. 
 
Santullo cursou Administração de Empresas e Ciências Políticas em Brasília (DF) e iniciou sua carreira como auditor da Controladoria na Fundação de Serviço Social do Distrito Federal. Em 1982, foi trabalhar na Câmara dos Deputados como assessor técnico legislativo, com especialidade constitucional e regimental até o fim de 1985. 
 
No início de 1986, ele participou do grupo técnico legislativo da Câmara dos Deputados, onde viajou em missão para estudar o parlamento em Londres, na Inglaterra, na Câmara dos Comuns do Reino Unido e Congresso Americano para a elaboração das subcomissões temáticas da constituinte.
 
Em 1987 a 1988, Marco Aurélio foi assessor-técnico da Assembleia Constituinte e, de 1988 a 1994, tornou-se chefe da Assessoria Legislativa do PSDB, tendo como líder Euclides Scalco, Jaime Santana, José Serra e outros.
 
Em 1995, foi convidado pelo presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para trabalhar na Subchefia de Assuntos Legislativos do Palácio do Planalto, cargo que ocupou até o fim de 1996.
 
Em dezembro de 1996, foi nomeado ministro interino do Ministério da Coordenação Política, quando também assumiu a chefia de Gabinete do Ministério e ficou responsável pela interface entre o governo federal e o Congresso Nacional.
 
Neste período, ele participou ativamente das necessidades políticas e administrativas de Mato Grosso do Sul. Aumentou, na época, em 28% o repasse do benefício de Proteção Continuada para o Estado, enquanto presidente do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), órgão gestor das Políticas Sociais do Brasil.
 
No fim de 2002, retornou para Mato Grosso do Sul e casou-se com Tabatha Fiorini, com quem tem dois filhos, Ana Luize e Vitor Aurélio. Em julho de 2016, assumiu a superintendência da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).
 
Em 2019, a convite da deputada federal e ex-ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, foi nomeado como diretor-administrativo-financeiro da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), junto com a função de secretário-geral do DEM de Mato Grosso do Sul.
 
Em 2021, Santullo foi secretário especial do Escritório de Assuntos Estratégicos com os Municípios da Casa Civil, na gestão do ex-governador Reinaldo Azambuja. Em 2023, foi nomeado pelo governador Eduardo Riedel para exercer o cargo de diretor-presidente da Funtrab.
 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).