Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DECISÃO

Justiça determina que Siqueira retire publicações negativas contra Macos Trad

Com prazo para retirada das redes sociais, descumprimento levaria a multas de até 10 mil reais por dia em alguns casos
17/10/2020 16:10 - Rodrigo Almeida


Coligação do Prefeito vence na Justiça pedido de remoção de postagens impulsionadas pelo candidato Vinícius Siqueira (PSL), com alegação de propaganda negativa no Facebook e com o fim de denegrir a imagens do candidato Marcos Trad (PSD) As decisões saíram nessa sexta-feira (16).

De acordo com as decisões da Justiça, dos seis vídeos veiculados pelo perfil @viniciudesiqueirabrasil no Facebook quatro devem ser retirados em um prazo de 24 a 48 horas da rede com multas que variam de 5 mil a 10 mil reais por dia.

Em uma das publicações intitulada, “A regra é clara: usar nomeação de cargos públicos para angariar votos é sinônimo de abuso de poder público”, o juiz eleitoral Paulo afonso de Oliveira constatou impulsionamento de propaganda negativa e que a campanha pode atingir até um milhão de pessoas, se faz necessária a retirada do vídeo.

Na mesmo processo, a peça intitulada “Você não vai acreditar nisso” com um encarte com a expressão “Pode isso, Arnaldo?” (em alusão ao comentarista de arbitragem que determinava o que era válido em uma partida de futebol), a Justiça determinou a retirada do vídeo em 24h com aplicação de multa de 10 mil reais por dia depois de terminado o prazo.

Apesar de o despacho ter saído nessa sexta-feira, o conteúdo permanecia na página do candidato até o término deste texto

Outra postagem retirada por determinação judicial é uma que envolve a sobrinha da vice-prefeita Adriane Lopes (PEN). Segundo o despacho do juiz Thiago Nagasawa Tanaka além de constar calúnia eleitoral, o impulsionamento pode inserir uma nova irregularidade.

Nesse despacho foi dado prazo de dois dias para a retirada do conteúdo com aplicação de pena no valor de 5 mil reais para cada dia de desobediência. Até o fechamento desta reportagem, o post que ligava Marcos Trad, a vice-prefeita e a sobrinha dela ainda estava operante nas redes sociais.

A quarta peça retirada é uma publicação na qual Vinícius Siqueira (PSL) acusava o prefeito de aparelhar a máquina pública municipal com funcionários fantasmas. No entanto, a Justiça não viu da mesma forma, constatando calúnia eleitoral, pois o acusador não consegue provar o objeto de acusação.

A reportagem do Correio do Estado tentou contato com o vereador e candidato Vinícius Siqueira. Ele apenas respondeu com uma foto do caso que envolve Adriane Lopes (PEN) indicando um suposto acordo reconhecido por Nathália Telles Lopes, sobrinha da vice-prefeita. 

Além de Siqueira, o cadidato Marcelo Bluma (PV) também foi alvo de decisão judicial que favorece o atual Prefeito, estabelecendo multa de R$ 10 mil em caso de descumprimento.

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!