Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Presidente da Assembleia se afasta do trabalho por suspeita de Covid-19

Deputado Paulo Corrêa informou que manterá isolamento até o resultado do teste
08/07/2020 13:15 - Glaucea Vaccari


 

Presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado Paulo Corrêa (PSDB), está com suspeita de Covid-19 e se afastou, a partir desta quarta-feira (8), as atividades da Casa de Leis.

Em comunicado enviado à Assembleia, Corrêa afirma que, diante das suspeitas, decidiu se afastar do trabalho presencial para a segurança de todos os colegas.  

“Visando assegurar a saúde e segurança dos nobres pares, dos servidores e prestadores de serviço, comunico meu afastamento dos trabalhos desta Casa de Leis a partir da presente data e até a confirmação do resultado negativo ou, em sendo o resultado positivo, até a alta médica”, diz a mensagem.  

Ele reforçou ainda para que todos cumpram os protocolos de biossegurança, com uso de máscaras, álcool em gel e lavagem das mãos com água e sabão.

SESSÃO

Na sessão desta quarta-feira (8), deputados aprovaram três proposições.

Em discussão única, foi aprovado projeto de Decreto Legislativo que reconhece estado de calamidade pública em Ribas do Rio Pardo, devido à pandemia do coronavírus, até o dia 31 de dezembro deste ano.

Também foi aprovado projeto que determina inclusão de intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras) nos telejornais da rede pública de televisão, nas peças publicitárias e programas institucionais do governo estadual.  

E por fim, deputados aprovaram projeto que acrescenta dispositivos à Lei 2062/1999, possibilitando destinar ao Fundo Especial de Reequipamento da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Funresp) os bens, direitos ou valores de investigado ou de acusado, ou existentes em nome de pessoas, que sejam instrumentos, produtos ou proveitos dos crimes de lavagem ou de ocultação de bens.

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.