Clique aqui e veja as últimas notícias!

PARLAMENTO

Senadores de MS devem perder presidência de várias comissões

Parlamentares do Estado não repetirão comando de comissões como CCJ, Agricultura e Relações Exteriores
12/02/2021 10:00 - Clodoaldo Silva


A nova composição do Senado, sob o comando de Rodrigo Pacheco (DEM-MG), deve fazer com que a bancada sul-mato-grossense perca força no comando de comissões importantes.  

As senadoras Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (PSL) e o senador Nelson Trad Filho (PSD) deixaram a presidência de colegiados importantes e não devem comandar outras comissões este ano.

Tebet presidia a Comissão de Constituição e Justiça, Thronicke presidia a de Agricultura e Trad Filho estava à frente da Comissão de Relações Exteriores.  

Nelson Trad Filho, porém, assume a liderança do PSD na Casa e ainda é cotado para ser ministro do Desenvolvimento Regional.

Últimas notícias

Tebet, que comandou por dois anos a poderosa CCJ do Senado, disse que deve continuar titular nesta comissão, mas também não pretende disputar a presidência, o que nem poderia, em virtude de o regimento interno proibir a reeleição do presidente na mesma comissão.

Já Thronicke, que presidiu a Comissão de Agricultura até o ano passado, vai pleitear a vice-presidência no mesmo colegiado este ano.

Na votação da Mesa do Senado, no dia 1º de fevereiro, com a vitória de Rodrigo Pacheco (DEM) foi divulgada uma relação com alguns nomes dos futuros presidentes das comissões, entre elas a CCJ, a de Assuntos Econômicos e a de Relações Exteriores. Em nenhuma delas aparecem os senadores sul mato-grossenses.

É que os líderes partidários do Senado podem definir a partilha das comissões permanentes da Casa, ou seja, quais partidos vão ocupar as presidências de cada um desses colegiados, que segue uma regra de proporcionalidade definida no regimento.