Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TUCANOS

Sob boato de expulsão, Rose Modesto procura executiva do PSDB

Deputada federal foi conversar com presidente regional sobre seu destino dentro do partido
16/01/2020 08:30 - YARIMA MECCHI


 

Sob boato de que será expulsa do partido, a deputada federal Rose Modesto procurou o presidente da Executiva Regional do PSDB, Sérgio de Paula, na tarde de ontem. A parlamentar quer disputar a Prefeitura Municipal de Campo Grande e vem afirmando que, caso seja da vontade dos tucanos, ela sairá novamente para disputar a administração da Capital. Nos bastidores, a informação de que Modesto estaria insatisfeita com as decisões do ninho circulam desde quando ela tentou ser presidente da sigla, em abril de 2019.

Como é de notório saber, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) fez um acordo de apoio ao atual gestor de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), para sua reeleição em outubro deste ano. O ato seria uma retribuição ao apoio que Trad deu em 2018 à campanha para o segundo mandato de Azambuja. 

O acordo entre os políticos é confirmado por Azambuja, porém, Trad negou diversas vezes que tenha alguma colaboração a não ser a de gestores do Estado e da Capital com o tucano. A situação tem causado diversas crises dentro do ninho tucano e apenas o presidente regional do PSDB estaria apoiando o governador a manter sua palavra. 

Até mesmo o deputado federal Beto Pereira, que foi para o embate com Modesto em abril de 2019 para continuar como presidente regional do PSDB, teria declarado apoio à correligionária para disputar a prefeitura. Os parlamentares não chegaram a disputar a eleição para gerir o ninho porque Sérgio de Paula foi declarado como presidente em coletiva de imprensa.

Os integrantes da executiva do PSDB defendem uma candidatura própria com o fim das coligações na proporcional. 
Procurada pelo Correio do Estado para se manifestar sobre o boato de expulsão, Modesto declarou que estava com o Sérgio para falar sobre o assunto, porque foi pega de surpresa por mensagens encaminhadas via WhatsApp.  “Eu fui surpreendida. Estive com a executiva ontem [terça-feira] e nada foi dito. Não existe e inclusive vim falar com o Sérgio. Estou com o presidente”, disse Rose. 

Questionada sobre possível candidatura para o pleito de outubro, Modesto reafirmou seu desejo de disputar a eleição, porém, destacou que depende do partido. “A decisão do PSDB com relação a Campo Grande é o que eu falei. Eu reafirmo a minha vontade de ser prefeita, mas estou no partido e nunca cogitei sair do partido. O que tem é a minha vontade e há um impasse porque a política é assim. A decisão é do conjunto e será em março”, alertando sobre o prazo que o partido deu para divulgar se vai manter ou não o acordo de Azambuja. 

Com relação ao convite que recebeu do Partido Progressista (PP) para disputar a administração da Capital pela sigla, a parlamentar afirmou que é comum os convites, mas negou que tenha aceitado. Os deputados estaduais Gerson Claro e Evander Vendramini – ambos do PP – foram a Brasília falar com Rose em 2019. 

“Houve o convite, isso é normal. Os partidos sabem que o PSDB ainda não decidiu e qual partido não quer uma deputada? Acabaram oferecendo. Eu nunca sentei com ninguém para sair do PSDB. Tem amigos meus que me ajudaram, mas tem muita especulação”, afirmou. 

Esta não é a primeira vez que há uma crise no ninho por conta da suposta saída de Rose. No segundo semestre de 2019, o presidente do partido afirmou que os filiados com mandato que não tem direito à janela partidária não serão liberados por ele para deixar o partido, o recado foi por conta da possível ida de Modesto para o PP. Na ocasião, Sérgio disse que seria necessária a aprovação de toda a executiva do ninho tucano. 

NOMES

Assim com Rose Modesto, o deputado Beto Pereira tem demonstrado interesse em ser prefeito da Capital. Além do vereador João Rocha e do secretário de Estado, Carlos Assis, que são cogitados como vice do atual prefeito, todos são do PSDB. 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!