Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES 2020

Tereza Cristina diz que DEM não será coadjuvante nas eleições

Ministra reforçou recomendação nacional para lançar maior número de candidatos
15/02/2020 12:15 - Adriel Mattos


 

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse que seu partido, o Democratas (DEM), não será coadjuvante nas eleições municipais deste ano. Ela participou de evento da legenda na manhã deste sábado (15) em Dourados, cidade no sul de Mato Grosso do Sul.

“Não seremos apêndice de nenhum partido”, frisou a ministra ao site Dourados News. Tereza lembrou ainda da recomendação da executiva nacional do DEM para ter o maior número de candidaturas possíveis.

“O DEM com certeza vai ter um caminho importante, temos vice [vice-governador Murilo Zauith], deputados estaduais e a união dessas lideranças vai fazer o partido forte. Vamos lançar [candidatura] onde há possibilidade, política não se faz sozinho. Onde for viável, vamos ter candidato”, destacou.

DOURADOS

Perguntada sobre a possibilidade de alianças no segundo maior colégio eleitoral do Estado, a ministra alegou que ainda não há definição. O deputado estadual José Carlos Barbosa, o Barbosinha (DEM), deixou a liderança do governo na Assembleia Legislativa (Alems) para entrar na disputa pela prefeitura de Dourados.

Sobre a possibilidade de aliança com o PSDB, partido do governador Reinaldo Azambuja, Tereza se esquivou. O deputado estadual Marçal Filho já afirmou publicamente que pode concorrer pelo partido em outubro.

“Como o presidente [Jair] Bolsonaro fala, primeiro o Brasil. Ou seja, Deus e depois o Democratas. Aí nós vamos ver as alianças”, disse a ministra, em referência ao bordão do presidente que deu nome à sua coligação nas eleições de 2018.

“Hoje é o dia do partido conversar e se entender. Não só em relação ao deputado [Barbosinha], como também os outros prefeitos aqui candidatos à reeleição. É o Democratas mostrando sua força como antigamente. Isso mostra o tamanho que o partido possui hoje para termos um caminho próprio para sermos a primeira via, não terceira”, finalizou.

 
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.