Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2020

Contra indagações sobre autenticidade das urnas eletrônicas, TRE realizou sorteio para comprovar funcionamento dos aparelhos

Sorteio é realizado todos os anos um dia antes das eleições, "a fim de demonstrar para o cidadão em geral que as urnas são invioláveis", afirmou juiz
14/11/2020 11:46 - Gabrielle Tavares


O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) realizou nesta manhã (14) o sorteio das seções eleitorais que sofrerão Auditoria de Funcionamento das Urnas Eletrônicas (Votação Paralela). A demonstração acontece dias depois do candidato Sérgio Harfouche (Avante), indeferido em duas instâncias, questionar veracidade das urnas.

A Votação Paralela é realizada por todos os tribunais regionais eleitorais do Brasil e serve para demonstrar o correto funcionamento da captação e da apuração dos votos nas urnas, sob condições normais de uso.

“O que estamos realizando hoje aqui é uma ação para dar transparência, de que o processo é limpo e idôneo”, alegou o juiz que presidiu o sorteio, Luiz Felipe Medeiros.

 
 

Recentemente, o procurador de Justiça licenciado e candidato a prefeito de Campo Grande, Sérgio Harfouche (Avante), questionou o processo eleitoral convocando 2 mil voluntários para ir às zonas eleitorais fiscalizar o processo eleitoral na Capital.

Nas palavras do candidato, que teve a candidatura indeferida em duas instâncias no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), “esse pessoal é capaz de tudo”, se referindo a uma suposta interferência nas urnas eletrônicas.

Atitude similar à do presidente norte-americano Donald Trump (Republicanos), que questionou o processo eleitoral de seu país e continua questionando após a vitória de Joe Biden (Democratas).

Com essa postura, Harfouche tenta se posicionar dentro do espectro de uma direita conservadora, que questiona as instituições com frequência.

Contudo, conforme apontado pelo juiz Medeiros, a Votação Paralela é apenas um dos diversos mecanismos de demonstração do processo eleitoral. 

Ele explicou que as urnas são submetidas a testes constantes durante o ano, não só durante o período eleitoral, o que garantem a autenticidade das votações.

“No processo eleitoral o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determina que outras medidas façam o procedimento para que a urna seja retirada do seu lugar de votação e submetida a essa auditoria, no momento do pleito, ou seja, é mais uma ação a fim de demonstrar para o cidadão em geral que as urnas são invioláveis”, ressaltou Medeiros.

O juiz assegurou ainda que outro mecanismo utilizado pelo TSE para comprovar a autenticidade das urnas é a submissão de editais para convocação de especialistas em invasão, popularmente conhecidos como hackers, para tentarem invadir o sistema.

“E nunca houve nenhuma falha de segurança nas urnas eletrônicas. Desde que foram criadas e instituídas no sistema brasileiro, as urnas eletrônicas nunca foram alvos de violação”, afirmou.

Estiveram presente no sorteio de hoje um representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Ministério Público, além de representantes de partidos políticos e população em geral interessada no processo.

Votação paralela

Foram sorteadas três seções para as auditorias de funcionamento das urnas eletrônicas sob condições normais de uso e três para auditoria mediante verificação de autenticidade e integridade dos sistemas.

Seções de todos os municípios do Estado estavam sujeitas para o sorteio das auditorias de funcionamento das urnas eletrônicas sob condições normais de uso. As sorteadas foram:  

Campo Grande - zona 35, seção 631, local 1740;

Campo Grande – zona 44, seção 331, local 1490;

Bandeirantes – zona 34, seção 12, local 1058.

Para a verificação de autenticidade e integridade dos sistemas são sorteadas apenas seções eleitorais da Capital:

Campo Grande - zona 54, seção 47, local 1058;

Campo Grande - zona 08, seção 536, local 1619;

Campo Grande - zona 36, seção 378, local 1929;

A auditoria é realizada no mesmo dia e horário da votação oficial – dia 15 de novembro, das 7h às 17h. O acontecimento é filmado e será transmitido pelo canal do TRE-MS YouTube.

 
 

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!