Clique aqui e veja as últimas notícias!

BANDEIRA TARIFÁRIA

Vereadores criticam aumento da conta de luz durante segunda onda da Covid

Bandeira tarifária havia sido suspensa em maio, mas foi retomada ontem pela Aneel
01/12/2020 11:43 - Glaucea Vaccari


O anúncio do aumento da energia elétrica em dezembro desagradou vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande, que criticaram a situação ocorrer em meio a pandemia e pediram apoio da bancada federal na adoção de medidas, na sessão desta terça-feira (1º).

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reativou o sistema de bandeira tarifária, que estava suspenso desde maio, e definiu a bandeira vermelha patamar 2 para o mês de dezembro, a mais alta.

Acompanhe as últimas notícias

Vereador Valdir Gomes (PSD) criticou o retorno da bandeira tarifária no momento em que o País enfrenta a segunda onda do coronavírus.

“Quero deixar meu protesto contra a Aneel, colocar bandeira vermelha no momento que a pandemia se alastrou novamente, o povo tá morrendo e não terá direito de morrer com a luz, a população terá que morrer no escuro”, disse.

André Salineiro (Avante), também afirmou ser um absurdo o retorno da bandeira vermelha e criticou também a concessionária de energia elétrica do Estado, Energisa.

“É culpa de um descaso com a população que vem desde o nosso Estado, onde a Energisa faz o que quer com o consumidor, é uma empresa sem vergonha, de último nível, que não responde nem sequer oficio dos vereadores dessa Casa”, disse.

“Não temos competência e é bom que a população saiba que é competência estadual, mesmo que um requerimento saia desta mesa diretora, ela [Energisa] não tem obrigação de responder”, acrescentou.

Devido a este fato, da competência sobre a concessão de energia elétrica não ser do município, vereador Chiquinho Telles (PSD) pediu apoio da bancada federal e da Assembleia Legislativa na cobrança de medidas.

Segundo ele, muitas pessoas perderam o emprego e estão sem renda devido à pandemia e o aumento na conta de luz impactaria ainda mais essa situação.

“Quero chamar atenção da nossa bancada federal, deputados e senadores que estão mais perto e com mais poder do que nós, que tivesse mais afinco nessa questão da energia elétrica”, pediu.

Bandeira vermelha

A Aneel definiu a bandeira vermelha patamar 2 para o mês de dezembro, com custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts hora consumidos.

Devido à pandemia do coronavírus, em maio, a Aneel decidiu manter a bandeira verde acionada até o dia 31 de dezembro deste ano, no entanto, em reunião realizada ontem (30), decidiu retomar o sistema de bandeira tarifário.

Conforme a diretoria do órgão, a queda no nível de armazenamento dos reservatórios das usinas hidrelétricas e a retomada do consumo de energia justificam o aumento.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia de usinas termelétricas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. 

A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração.