Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRISE

A deputada se referia as mensagens exibidas pelo JN

Zambelli diz... Moro foi 'maligno' ao enviar troca de mensagens ao JN
24/04/2020 22:17 - Da Redação


 

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) e aliada de primeira hora atualmente do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse agora a noite após o Jornal Nacional apresentar trocas de mensagens entre ela e o ex ministro Sérgio Moro que considera "extremamente maligna" a atitude do ex-ministro da Justiça, em expor conversas entre os dois. Moro deixou claro que partiu de Zambelli a proposta de trocar a demissão de Maurício Valeixo, então diretor-geral da Polícia Federal, pela indicação ao STF (Supremo Tribunal Federal). "Vazar pro Jornal Nacional como se fosse algo ilícito, como se eu tivesse feito uma coisa ilícita. Achei extremamente maligno. Não gostei do que ele fez", declarou a parlamentar em rede social. 

O telejornal mostrou as trocas de mensagens entre ela e Moro, na qual a aliada do presidente pede que o ainda ministro aceitasse a indicação do nome de Alexandre Ramagem (diretor da Abin - Agência Brasileira de Inteligência) assumisse a direção da PF. Ela, então, se se compromete a convencer o presidente a indicar Moro ao STF caso ele assinasse a exoneração de Valeixo. Em live no Facebook, feita pouco após a reportagem do Jornal Nacional ir ao ar, Zambelli comparou a saída de Moro do governo ao "divórcio" de um pai e uma mãe: "O natural disso tudo é ficar com o Bolsonaro. A gente tem um pais para governar, e ele (Moro) escolheu sair", disse ela...

"Eu não sou ninguém para prometer uma vaga no STF. O que eu quis dizer é que eu poderia ajudar. Tentar falar com o Bolsonaro", continuou a deputada, que acusou o ex ministro Moro de deixar o cargo "de forma muito fria". "Continuaremos com Bolsonaro. E o Moro vai passar. Daqui a 10, 20 dias, ele vai estar dando aula em outro lugar, e nós vamos continuar com Bolsonaro", finalizou. 

 

Felpuda


Falatório e atitude de membro da família acenderam a luz vermelha no “QG” de candidato, pois poderão causar muitos estragos. 

A tropa de choque de defensores do candidato a prefeito já foi colocada em campo e só falta falar que os genes de ambos são diferentes. 

E com relação ao dito-cujo, sabe-se que deverá ser orientado a “baixar a bola” nos próximos dias, mais precisamente até o término da campanha eleitoral.

Afinal...