Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SUSPENSÃO BNDES

Linha de crédito para maquinário agrícola é suspensa

Moderfrota conta com taxa de juros prefixada em 7,5%
15/04/2019 15:21 - ALINE OLIVEIRA E ROSANA SIQUEIRA


 

Foi anunciada nesta segunda-feira (15), pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a suspensão dos protocolos de pedidos para o Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota).

A linha de crédito conta com taxa de juros prefixada em 7,5% ao ano e foi idealizada para oferecer aos produtores rurais a aquisição de tratores e implementos, colheitadeiras e plataformas de corte, pulverizadores e equipamentos de adubação novos, de fabricação nacional e credenciados no BNDES. 

O público alvo beneficiado são empresários rurais com faturamento anual de até R$ 90 milhões. A circular foi assinada pelo superintendente da Área de Operações e Canais Digitais (ADIG), Marcelo Porteiro Cardoso, que justifica: "comprometimento total dos recursos disponíveis para as citadas Linhas de apoio para o Ano Agrícola 2018/2019”. 

Segundo apurado pela imprensa especializada, a medida surpreendeu os fabricantes de máquina que aguardavam a ampliação da oferta de crédito para o Moderfrota.

Além disso, entre os dias 29 de abril de 3 de maio, acontece em Ribeirão Preto (SP), umas das maiores feiras do setor e que tem tradição no lançamento de máquinas plantadeiras, colheitadeiras e tratores.  

NOTA OFICIAL

O documento encaminhado às instituições financeiras credenciadas informa, ainda, que “o BNDES mantém discussões junto ao Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento na avaliação de alternativas para remanejamento de recursos equalizáveis pelo Tesouro Nacional para os citados Programas, para o Ano Agrícola 2018/2019”.

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!