Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AGRICULTURA

Seminário debate Impactos dos Agrotóxicos no Estado

Em Mato Grosso do Sul, a estimativa é que cada pessoa consome proporcionalmente até 40 litros de agrotóxicos por ano
16/08/2015 07:00 - Da redação


A Câmara Federal e a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul promovem na próxima segunda-feira (17), a partir das 13h, um seminário sobre os Impactos dos Agrotóxicos na Sociedade. O Brasil é o país que mais utiliza agrotóxico nas plantações. Dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), órgão do Ministério da Saúde, demonstram que no Brasil a venda de agrotóxicos saltou de US$ 2 bilhões para mais de US$ 7 bilhões entre 2001 e 2008, alcançando valores recordes de US$ 8,5 bilhões em 2011. 

O evento proposto pelos deputados estaduais Amarildo Cruz (PT) e Pedro Kemp (PT) e pelo deputado federal Zeca do PT discutirá os riscos à saúde e os danos ambientais causados pelo uso destes produtos e contará com a participação de pesquisadores de Mato Grosso do Sul e de outros estados. Estudos estimam que aproximadamente 25 milhões de trabalhadores agrícolas de países pobres sofram com algum tipo de intoxicação causada por exposição a agrotóxicos. De acordo com dados do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), o Estado vizinho é o maior consumidor do Brasil, com o equivalente a 43 litros de veneno por habitante.

Em Mato Grosso do Sul, a estimativa é que cada pessoa consome proporcionalmente até 40 litros de agrotóxicos por ano, quase seis vezes a mais do que a média nacional per capita, que é de 7,3 litros por ano. A exposição e o consumo de produtos contaminados em médio e longo prazo podem causar distúrbios neurológicos, problemas respiratórios, cardíacos, pulmonares, no sistema imunológico e na produção de hormônios, além de má formação fetal e até câncer.

Conforme o deputado estadual Amarildo Cruz, estudos recentes do Inca mostram a relação do crescimento das vendas de agrotóxicos com o registro de casos de câncer no país. Para o deputado federal Zeca do PT, a fiscalização da comercialização dos agrotóxicos deve ser mais rígida. O deputado estadual Pedro Kemp (PT) defende a discussão com urgência não só o controle da utilização de agrotóxicos para minimizar as consequências, mas também alternativas para produção agroecológica. O Seminário será realizado no Plenário Deputado Júlio Maia, na Assembleia Legislativa, em Campo Grande.

Felpuda


Partido político está vivendo processo de autofagia cá por essas bandas. Nada de ideologia ou defesa dos interesses dos filiados. O problema, segundo os mais observadores, é que lideranças não se contentaram em ter cada uma o seu pedaço e decidiram tomar conta com exclusividade do espólio, que, aliás, é regado com cifras milionárias. A legenda deverá se transformarem uma máquina de lavar, no caso, cheia de roupas sujas. E dê-lhe!