Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FAKE SMARTPHONE

Celulares dobráveis de Samsung e Motorola estão quebrando

Os problemas já iniciaram na região onde a tela dobra
19/02/2020 18:30 - Marcos Fernando Alves Rodrigues


Com muita pompa a Samsung anunciou segunda quinzena de janeiro de 2020 seu Galaxy Fold, o primeiro smartphone dobrável da marca. O  consumidor, que na época pensou tratar-se de uma revolução, já começa a ter as primeiras decepções com o smartphone.

O impacto da novidade só foi superado pelo impacto do fracasso do aparelho. O Fold chegou a receber um recall e teve sua venda cancelada pela empresa sul-coreana.

Após o recall, a Samsung buscou forçar e voltou a apostar na tecnologia, com o Galaxy Z Flip, o resultado: novamente outra decepção para os compradores.

Uma das principais concorrentes da Samsung, a Motorola também lançou com a mesma pompa o seu smartphone dobrável, o Razr, para a possível alegria daqueles consumidores de tecnologia de ponta.

Para não surpresa de ninguém, ambos os smartphones estão apresentando problemas com a tela, que está se desgastando e quebrando com certa facilidade.

Em menos de uma semana do anúncio dos aparelhos, já surgiram os primeiros relatos de problemas no Galaxy Z Flip e no Razr.

Já existe relato divulgado no Twitter, de usuário que comprou o smartphone e, mesmo seguindo as instruções de uso, viu o equipamento ter a tela rachada ao meio, justamente onde a existe a dobra.

O ativista político e entusiasta de tecnologia Amir, relatou que seu Galaxy Z Flip quebrou na primeira dobra, e chegou a relatar um  estalo. Amir também palpita que o frio pode ser uma das causas para a quebra do display.

No caso do Motorola Razr, já existem relatos de usuários percebendo a perda de formato da tela, com direito ao display sendo entortado justamente na parte onde a tela se dobra.

Bastou a reportagem fazer uma busca rápida no Youtube para encontrar alguns blogueiros denunciando os aparelhos.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.