Tecnologia

Tecnologia

Google se defende em investigação britânica sobre privacidade

Google se defende em investigação britânica sobre privacidade

Continue lendo...

O Google acaba de dar retorno ao comissário de Informação britânico (ICO, na sigla em inglês), depois que este, na semana passada, reabriu uma investigação acerca do serviço Google Stree View, sob a suspeita de que a empresa não estivesse sendo totalmente transparente quanto às suas práticas de coleta de dados. Segundo o site The Verge, a resposta veio através de uma longa carta elaborada por seu Conselheiro Global de Privacidade, Peter Fleischer. 

A carta, que foi publicada na íntegra pelo jornal The Telegraph, abordou questões específicas colocadas pelo ICO - especialmente aquelas que sugerem que o Google deixa sua carga de dados "pré-preparada" antes de apresentá-la às autoridades. O Google insiste que jamais adulterou qualquer dado coletado, incluindo senhas e mensagens pessoais que tenha sido capturadas pelos carros do Street View através de redes wireless pouco seguras. A empresa afirmou que só intervém nas informações no momento de deixá-las "humanamente" legíveis. Insinuações de que a inteligência em coleta de dados do Street View estaria "generalizada" entre todo o Google, também foram rebatidas. "Não é o caso", declarou a companhia. 

Entretanto, alguns indivíduos dizem que a empresa só se tornou ciente de seus problemas com a coleta de dados em meados de 2010, quando o próprio Google alegou ter cessado a mesma. Porém, relatórios anteriores mostram que autoridades europeias foram as primeiras a revelar a violação de provacidade, mesmo que o Google continuasse negando sua existência. O gigante das buscas reconhece que perdeu a oportunidade de identificar problemas mais cedo, mas insiste em defender que o objetivo da coleta de dados via Wi-Fi é unicamente encontrar pontos de acesso para serviços de localização - e ainda afirmou que em momento algum diretores ou responsáveis pelo projeto pediram acesso aos dados coletados, e que estes jamais foram usados em qualquer produto ou serviço. Tal argumento é o cerne da defesa do Google, porém ele contradiz relatório anterior da Comissão Federal de 

Comunicações (FCC, na sigla em inglês), que aponta justamente para as intenções que o engenheiro do Street View teria em coletar, armazenar e revisa os dados coletados, para possível utilização em outros produtos do Google. Um documento, fazendo referência a tais objetivos com os dados, teria circulado entre integrantes do projeto, mas o Google afirma que ninguém da equipe leu o documento, ou entendeu seu pleno significado. A carta de Fleischer encerra com um apelo para que o comissário reconsidere sua posição, e traz anexados documentos que comprovam que os dados coletados foram destruídos pelo Google em 2010.

INSTABILIDADE

Instagram está fora do ar hoje (14 de maio)

Usuários relatam instabilidade na plataforma da Meta

14/05/2024 22h11

Instagram

Instagram

Continue Lendo...

O Instagram apresentou instabilidade hoje, principalmente na versão móvel da aplicação, conforme relatos de usuários e monitoramento feito pelo Downdetector.

A queda da rede social começou por volta das 12h, e os problemas mais notificados incluem dificuldades com o login e a atualização do feed. Facebook também sofreu com a instabilidade.

A Meta, empresa que controla ambas as plataformas, já informou que o problema foi corrigido mais tarde no mesmo dia Relatórios de usuários indicam problemas com Instagram na noite desta terça-feira.

Ultima atualização às 22:19 desta terça-feira

Evolução tecnológica

ChatGPT 4o: mais rápido e 50% mais barato

OpenAI apresenta o novo cérebro da IA, oferecendo desempenho aprimorado a custos reduzidos

14/05/2024 16h12

Chat GPT

Chat GPT Reprodução

Continue Lendo...

A OpenAI surpreendeu o mundo da inteligência artificial (IA) nesta segunda-feira (13) ao revelar o ChatGPT 4o, o mais recente avanço em sua série de modelos de conversação. Com uma performance que lembra o aclamado filme "Ela" (dirigido por Spike Jonze em 2013), a empresa demonstrou as notáveis melhorias do GPT-4o sobre seu predecessor, o GPT-4 Turbo, elevando não só a capacidade de processamento de texto e compreensão de imagens, mas também mantendo o suporte para interações por voz.

De acordo com a OpenAI, em comparação com o GPT-4 atual, o GPT-4o oferece o dobro de velocidade no processamento de respostas, enquanto reduz os custos em 50%, tornando-se ainda mais acessível para os usuários. O modelo também ostenta uma capacidade cinco vezes maior. Agora, cada 1 milhão de tokens (pequenos segmentos de palavras) custa apenas US$ 5, em contraste com os US$ 10 do GPT-4 Turbo. A empresa anunciou que a nova IA estará disponível gratuitamente para todos os usuários da OpenAI, inclusive para os não assinantes do plano ChatGPT Plus.

A executiva-chefe de tecnologia da OpenAI, Mira Murati, liderou demonstrações impressionantes, destacando a habilidade do ChatGPT em lidar com imagens e voz. As interações revelaram uma IA não apenas mais inteligente, mas também mais natural em suas respostas, resultando em diálogos menos robóticos e mais próximos do estilo humano. Além disso, o chatbot demonstrou sua capacidade de compreender emoções humanas.

Murati também anunciou que o GPT-4o estará disponível como uma API, permitindo que desenvolvedores e empresas integrem facilmente a inteligência artificial em uma variedade de produtos e serviços. Além disso, a OpenAI revelou melhorias em mais de 50 idiomas.

Outro destaque do evento foi o lançamento de um novo aplicativo ChatGPT para Mac, da Apple, facilitando ainda mais a integração do chatbot nas tarefas diárias dos usuários.

Este anúncio precedeu o tão aguardado evento anual do Google, o Google I/O, que também promete inovações significativas na área de IA. Especula-se que a empresa demonstre as capacidades de sua IA Gemini como assistente pessoal.

Implicações para a competição

O evento da OpenAI não apenas apresentou as capacidades aprimoradas do ChatGPT-4o, mas também destacou seu potencial como concorrente direto de assistentes pessoais como Siri, da Apple, e Alexa, da Amazon. O modelo impressiona ao combinar funcionalidades de assistência por voz com a capacidade de processar imagens do mundo real através da câmera de smartphones. A principal vantagem sobre os concorrentes é a capacidade única do ChatGPT-4o de realizar todas essas funções em um único modelo.

Na demonstração, a IA foi capaz de narrar histórias com diferentes entonações vocais, desde emocionadas até totalmente robóticas. Além disso, utilizando a câmera do celular, o ChatGPT ajudou a resolver equações matemáticas simples escritas em papel e atuou como tradutor em tempo real durante uma conversa. Segundo a OpenAI, essas funcionalidades estarão disponíveis para os usuários nas próximas semanas.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).