Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

LANÇAMENTO

A versão 2021 da Kawasaki Z650 chega em novembro, com elegância quase discreta

Com atualizações no design e novos equipamentos de série, está disponível em duas cores e preços
27/10/2020 17:00 - Edmundo Dantas/AutoMotrix


A versão 2021 da Z650 desembarca em novembro nas concessionárias brasileiras da Kawasaki com um design discretamente revigorado. As mudanças incluíram uma sutil evolução no habitual estilo Sugomi, com suas linhas minimalistas características da família Z, e também novos farol e lanterna, que estão maiores e agora são em leds. O modelo incorpora ainda pneus Dunlop Sportmax Roadsport 2, desenvolvidos para uma pilotagem mais esportiva. A Kawasaki Z650 2021 está disponível em duas cores e preços. A Metallic Spark Black / Metallic Flat Spark Black tem preço público sugerido de R$ 37.490 mais frete. E a Candy Lime Green / Metallic Spark Black sai por R$ 37.990 mais frete.

Na renovada naked de médio porte da Kawasaki, o chassi exposto e o visual musculoso denotam força. Os assentos contam com novo estofamento mais espesso e as carenagens laterais que acompanham toda traseira oferecem mais suporte para o garupa, com maior área de apoio para a lombar do piloto – são apenas 79 centímetros de altura até o solo. Um pequeno estreitamento na junção do tanque com o assento visa a proporcionar um encaixe mais adequado das pernas. Segundo a Kawasaki, a Z650 é uma motocicleta compacta para driblar o trânsito no uso urbano e leve para a diversão e as estradas no fim de semana. 

O motor permanece o mesmo de dois cilindros paralelos e 650 cilindradas, que produz 68 cavalos a 8 mil rpm e entrega torque de 6,7 kgfm a 6.500 giros. Para a engenharia da Kawasaki, o propulsor foi otimizado para o uso diário, para empolgar desde os giros mais baixos entregando torque e potência que, combinados com a leveza do chassi, tornam a pilotagem mais prazerosa. O duplo controle de válvulas do acelerador busca oferecer aceleração linear e suavizar as respostas do punho direito e contribui com a eficiência do consumo, mostrada no indicador “Eco” no painel. De acordo com a marca japonesa, o baixo centro de massas do modelo incrementa a sensação de leveza na condução. A posição de pilotagem da Z650 deixa os braços relaxados e o controle ao alcance das mãos. As trocas de marchas são facilitadas pela embreagem assistida e deslizante, já disponível no modelo anterior. 

A naked traz ainda novo painel TFT com conectividade via Bluetooth. A tela de 4,3 polegadas possibilita aos usuários escolher entre duas cores de fundo, branca e preta, e quatro níveis de luminosidade. Nela, é possível visualizar informações como velocímetro e contagiros digitais, indicador de marcha, shift light – a barra de RPM muda de cor até ficar toda laranja e, ao atingir as rotações pretendidas pelo usuário, começa a piscar indicando o momento da troca de marcha –, nível de combustível, hodômetros total e dois parciais, consumo de combustível instantâneo e previsão de autonomia, velocidade média, tempo total desde o último reinício, relógio, temperatura do líquido de arrefecimento, voltagem da bateria, lembrete da agenda de manutenção, de troca de óleo, notificação de e-mail e chamadas do smartphone e indicador de modo Eco. O aplicativo Kawasaki Rideology possibilita visualizar no celular informações relacionadas ao consumo e à temperatura do óleo.

Os freios ABS da Z650 contam com disco duplo de 300 milímetros na dianteira e disco simples de 220 milímetros na traseira. Os manetes de freio e de embreagem são ajustáveis em até cinco níveis, para personalizar a moto à maneira de pilotar e ao tamanho das mãos do condutor. Os pneus Dunlop Sportmax Roadsport 2 tem dimensões 120x70x17 na dianteira e 160x60x17 na traseira. De acordo com a fabricante, tornam a Z650 suave para a cidade e firme para a estrada.

 

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!