Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MOTO

BMW Motorrad apresenta a R 18 Dragster, sua nova moto baseada na cruiser BMW R 18

O aclamado designer californiano Roland Sands revela sua nova criação
18/08/2020 14:18 - Daniel Dias/AutoMotrix


O californiano Roland Sands, que acaba de completar 46 anos, é um ex-piloto da Motovelocidade que tornou-se um conceituado designer de motocicletas personalizadas de alto desempenho. Como piloto, ganhou o campeonato de corrida de estrada AMA 250GP National Champion 1998. Em 2005, fundou a Roland Sands Design em Los Alamitos, na periferia de Los Angeles, que já arrebatou diversas premiações. Sua mais recente criação foi despojar uma recém-lançada cruiser BMW R 18, que acaba de chegar às concessionárias europeias por 22.990 euros (cerca de R$ 148 mil), para criar um dragster de linhas retas, ostentando o icônico motor boxer. E a R 18 Dragster já é considerada por muitos como mais uma obra-prima construída em torno do impressionante “Big Boxer” de dois cilindros, que deu asas à criatividade no processo. A história pessoal de Roland Sands serviu de fonte de inspiração para seu trabalho. “Com um motor que é tão visivelmente à peça central, pensei imediatamente em ‘muscle cars’. Minha família sempre gostou de andar rápido e meu pai era um corredor, então, achei que faria sentido reduzir a moto ao essencial e moldá-la para andar rápido em uma pista reta”, explica o designer.

A R 18 Dragster segue inteiramente a tradição das motocicletas BMW históricas - tanto tecnicamente quanto em relação ao seu design. O estilo é baseado em modelos ilustres como a BMW R 5, mudando o foco para trazer de volta para o essencial: tecnologia purista e sem “frescuras” e o motor boxer como o centro do prazer de dirigir. O “Big Boxer” continua a tradicional linha de motores boxer refrigerados a ar, que oferecem uma pilotagem inspiradora desde o início da produção pela BMW Motorrad, em 1923. Tem 1.802 cc e é o mais potente motor boxer de dois cilindros já usado na produção de motocicletas. A potência máxima é de 67 kW (92,2 cavalos) a 4 750 rpm. De 2 mil a 4 mil rpm, mais de 15,3 kgfm do torque estão disponíveis o tempo todo. 

A nova versão da R 18 oferece um design altamente personalizável. Ele apresenta um quadro traseiro facilmente removível e um conjunto de peças pintadas, simples de se desmontar. Isso dá ao cliente um alto grau de liberdade para converter a traseira da R 18 Dragster de acordo com suas preferências pessoais. Além disso, é possível alterar o acabamento da pintura de acordo com seu gosto pessoal. “A eletrônica foi definitivamente a tarefa mais difícil com a qual tivemos que lidar, pois colocamos óxido nitroso, removemos o escapamento de estoque e mudamos drasticamente a entrada. Foi um pouco como um experimento. O produto final é impressionante e caracterizado por um alto nível de habilidade, como se pode esperar da BMW Motorrad”, lembra Sands.

Para a R 18 Dragster, a equipe em torno de Roland Sands manteve a geometria padrão da R 18, removeu a traseira da moto e a transformou em um modelo de corrida. Optaram ainda por modificar o para-lama dianteiro e o traseiro para caber no quadro alterado. Todo o processo de customização demorou cerca de três meses e meio. “Cada novo conceito de motocicleta é um processo de aprendizagem, mesmo depois de ter construído mais de duzentas. Sempre queremos entender o gênero da motocicleta que estamos construindo, é a chave para mantê-la autêntica e funcional”, ensina Sands. Para a Dragster R 18, o designer usou a coleção de peças fresadas “2-Tone-Black” para personalizar alavancas, rodas, tampas de válvula, placa peitoral, farol e medidores. O quadro foi modificado, removendo completamente a suspensão traseira para corridas de Arrancada. A frente foi tirada da BMW R nineT, mas o assento e o escapamento personalizados foram criados do zero. O acabamento da pintura é um azul metálico de dois tons, com as clássicas listras brancas da BMW.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!