Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

MOTOMAIS

Confira as dicas e novidades semanais sobre motos no Brasil e no mundo

A Kawasaki KX 250X recebeu ajustes em sua linha 2021, como partida elétrica e descanso lateral
28/11/2020 08:00 - Edmundo Dantas/AutoMotrix


Lameira renovada

A Kawasaki KX 250X recebeu ajustes em sua linha 2021. Uma das mudanças mais significativas para quem pratica off-road é a adoção da roda traseira aro 18 polegadas de fábrica, comportando pneus de perfil mais alto, ideais para terrenos de pouca aderência e que exigem calibragem mais baixa. Além disso, partida elétrica, descanso lateral, suspensões mais macias e relação final diferenciada completam o pacote de ajustes. 

O novo chassi mais rígido foi balanceado para proporcionar uma tocada suave, mesmo nos trechos mais difíceis. A carenagem minimalista oferece mais espaço para o piloto “escorregar” sobre o banco. As suspensões foram otimizadas e estão mais macias. Com a adoção da embreagem hidráulica, como na KX 450, os pilotos podem usufruir de mais leveza no acionamento do manete e de maior precisão nas trocas de marchas.

O motor, o mesmo utilizado na KX 250 voltada para as pistas de motocross, tem 249 cc e utiliza injeção eletrônica dupla. Recebeu ajustes finos que extraíram aproximadamente 1,4 cavalo de força extra e elevaram as rotações a 14.500 rpm para oferecer desempenho máximo ao torcer a manopla. 

A Kawasaki KX 250X 2021 chega às concessionárias no início do ano que vem, na cor Lime Green, com preço público sugerido de R$ 48.990, fora o frete.

Melhor de dois mundos

O aspecto emocional de uma roadster combinado com a dinâmica de pilotagem de uma superesportiva. Foi assim que a BMW apresentou a nova S 1000 R. Derivada diretamente da superesportiva S 1000 RR nas principais áreas, motor e chassi, a roadster oferece a mesma tecnologia inovadora. O parentesco próximo com a “RR” pode ser visto de todos os ângulos. A redução de peso de 6,5 quilos deixou a moto com 199 quilos com tanque vazio. O quatro cilindros em linha é baseado no motor da S 1000 RR e gera 165 cavalos a 11 mil rpm. O torque máximo de 11,6 kgfm está disponível a 9.250 rpm. 

A fim de reduzir os níveis de ruído e consumo de combustível, bem como o nível de rotação do motor, especialmente em velocidades de cruzeiro em estradas rurais, a quarta, quinta e sexta marchas agora têm relações de transmissão mais longas. Além de uma embreagem antisalto mais suave e auto-reforçada, a nova S 1000 R é equipada com controle de torque de arrasto do motor pela primeira vez como um opcional. 

O controle de torque de arrasto do motor evita que a roda traseira escorregue como resultado de uma aceleração abrupta ou redução de marcha graças ao controle eletrônico. O pacote M incorpora ao modelo materiais mais leves e reduz o peso do veículo em 4,8 quilos. O novo painel de instrumentos com display TFT de 6,5 polegadas é de fácil leitura, incluindo telas esportivas adicionais, navegação por setas e conectividade.

 
 

Função introdutória

Segundo a definição da Ducati, a SuperSport 950 modelo 2021, renovada em estética e eletrônica, é o modelo ideal para os jovens que desejam se aproximar do mundo das motos esportivas da marca italiana. A fabricante com sede em Borgo Panigale defende que a SuperSport 950 é a moto certa para trazer a condução esportiva para o dia a dia, sem ter de abrir mão de nada, principalmente no que diz respeito ao conforto. 

Para a linha 2021, o modelo foi revisado em design, enriquecido com itens e equipamentos eletrônicos, além de estar em conformidade com a legislação antipoluição Euro 5. A ligação estética entre a SuperSport 950 e a Panigale V4 agora é ainda mais forte. A visão frontal é definida pelo novo farol full-led apoiado por duas aletas e flanqueado por duas entradas de ar que ampliam a visão. A luz de circulação diurna lembra claramente a assinatura luminosa da Panigale V4. 

As carenagens foram redesenhadas para acentuar a esportividade da moto e a fluidez das formas. As saídas de ar do radiador de água são inspiradas no extrator duplo das Panigale V4. A SuperSport 950 está disponível em vermelho e a S, em Ducati Red e Arctic White Silk. O modelo está equipado com suspensão Öhlins totalmente ajustável e capa do banco do passageiro. As duas versões estarão nas concessionárias europeias da Ducati a partir de fevereiro de 2021. 

Para andar na frente

A Kawasaki afirma que usou toda sua experiência em competições, como o AMA Motocross e o Supercross, no desenvolvimento da KX 450X 2021. O propulsor de 449 cc, derivado da versão MX, traz embreagem hidráulica e mapas programáveis, chassi repaginado e suspensão pronta para competição. Diferenciais como proteção do motor e disco de freio traseiro, além do apoio lateral e partida elétrica, valorizam o modelo. Programado para uso em modalidades com percurso livre (fora dos circuitos fechados de motocross), o propulsor da KX 450X entrega potência e torque desde as mais baixas rotações, para desempenhar seu papel com desenvoltura por trilhas travadas e nos “estradões”. 

Dentre as modificações que o motor recebeu, um sistema de atuação das válvulas foi desenhado pelos engenheiros da Kawasaki do Mundial de Superbike, com maior diâmetro e perfil mais agressivo da câmara. Os giros chegam a 11.700 rpm, graças às novas válvulas de titânio que incrementam a performance em altos regimes de rotação. A Kawasaki KX 450X 2021 estará no próximo ano, na cor Lime Green, por R$ 51.990, mais o frete.

 

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!