Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

MOTOMAIS

Confira as dicas e novidades semanais sobre motos no Brasil e no mundo

Em novembro, a Ducati apresentará a Streetfighter V4 S em nova cor preta-mate
29/10/2020 15:12 - Edmundo Dantas/AutoMotrix


Um 2020 acelerado

A Melc Motopeças é uma empresa paulista fundada em 1988 em Taboão da Serra, com sede atualmente em Jundiaí. Com foco na industrialização e comercialização de motopeças e acessórios para vários modelos de motocicletas nacionais, principalmente de baixa cilindrada, a empresa não tomou conhecimento da crise de vendas causada pela pandemia do novo coronavírus e registra até agora um crescimento superior a 80% em relação a 2019, com previsão de chegar até o fim de 2020 com evolução nas vendas superior a 100% na comparação com o ano passado. Em meados de março deste ano, como todas as empresas do setor de veículos, a Melc sofreu brusca queda nas vendas, que obrigou a empresa a reduzir a jornada de trabalho, readequando seus processos e pessoal enquanto mantinha as atividades ao mínimo e garantia os empregos. A partir de maio, com sinais de uma retomada e aumento nos pedidos, a fábrica ganhou novo ritmo para atender às demandas. Surgiram então, as dificuldades para encontrar matéria-prima, o que levou a alta nos preços. Para atender à elevação da demanda, a Melc resolveu investir na compra de três novas máquinas injetoras, contratou oitenta pessoas - e ainda está aguardando a entrega de um novo robô de pintura, ainda este ano. São três turnos operando com força total para atender aos pedidos de todo o Brasil, já no limite da capacidade da fábrica. “Atribuímos este aumento na procura por motopeças ao crescente uso da motocicleta como alternativa aos meios de transporte, sobretudo o público. A categoria dos motofretistas deu um salto, assim como dos aplicativos de entregas, uma vez que as pessoas passaram a depender mais dos serviços de entrega por não poderem sair de casa”, avalia Alexandre José Saba, presidente na Melc Motopeças.

No tom da novidade

No início de novembro, a Ducati apresentará a Streetfighter V4 S em um novo esquema de cromático denominado Dark Stealth, uma cor preta-mate que se junta ao clássico e esportivo Ducati Red. Além disso, todos os modelos da gama Ducati Streetfighter V4 estão em conformidade com a legislação anti-poluição Euro 5 em todos os países onde está em vigor. Os números máximos de potência e torque permanecem inalterados, mas reposicionados em diferentes rotações do motor. O Streetfighter V4 Euro 5 tem uma potência de 211 cavalos (153 kW) a 13 mil rpm (250 rpm superior à versão Euro 4) e um torque de 12,5 kfgm a 9.500 rpm (2 mil rpm inferior à versão Euro 4). Segundo a marca italiana, esses valores, obtidos graças a uma nova calibração e ao novo escape, tornam a motocicleta ainda mais agradável em estradas sinuosas. Mais detalhes serão revelados na primeira semana de novembro, na “live” de lançamento da nova Streetfighter V4 S.

 
 

Inovações em família

Para a linha 2021, os novos modelos BMW R nineT - R nineT, R nineT Pure, R nineT Scrambler e R nineT Urban G / S - ganharam algumas modificações técnicas, além de ampliar a gama de equipamentos padrão e opcionais. Quando a BMW Motorrad apresentou a R nineT em 2013, a roadster já combinava design de motocicleta clássico e tecnologia moderna com acabamento aprimorado e uma ampla gama de opções de personalização. Pouco tempo depois, a R nineT foi gerando derivados: a R nineT Urban G / S, como um enduro com os genes do lendário R 80 G / S de 1980, a R nineT Scrambler, como uma homenagem a esse gênero de motocicleta distinto para aqueles que amam um estilo purista, e a R nineT Pure, como uma roadster minimalista, reduzida ao básico. Para uso nos novos modelos R nineT, o motor boxer passou por ajustes técnicos e visuais e agora é projetado para atender aos requisitos da classe de poluentes EU-5. Sua potência de pico agora é de 109 cavalos a 7.250 rpm (anteriormente, eram 110 cavalos a 7.750 rpm), enquanto o torque máximo ainda é de 11,8 kgfm a 6 mil rpm. 

Neve ou areia

A Triumph Tiger 1200 acaba de ganhar duas novas configurações no Brasil, Alpine e Desert, que somam-se à básica XR e à intermediária XCx. As duas novidades contam com um esquema de cores exclusivo e um pacote de tecnologia mais completo. A Alpine Edition adota o tom Snowdonia White, enquanto a Tiger 1200 Desert chega na cor Sandstorm. Ambas trazem de série o sistema de Auxílio de Troca de marcha Triumph (TSA - Triumph Shift Assist), que permite mudanças de marchas rápidas para cima e para baixo, sem o auxílio da embreagem, enquanto o piloto mantém a posição no acelerador. As duas contam ainda com sistemas de gestão totalmente integrados controlados por uma Unidade de Medição de Momento de Inércia (IMU), sistema de frenagem integrado, freios ABS e controle de tração otimizados para curvas e controle de arranque em subida. Também está presente nos dois novos modelos o sistema de para-brisa ajustável eletricamente. O motor permanece o mesmo tricilíndrico de 1.200 cc com 141 cavalos a 9.350 rpm e torque de 12,4 kgfm a 7.600 rpm. Os preços sugeridos são de R$ 83.590 para a Alpine Edition e de R$ 88.590 para a Desert Edition.

 
 

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!