Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TEST DRIVE

Equinox 1.5 Premier Turbo

Mais equilíbrio, menos potência e o resto tudo igual
22/02/2020 06:00 - Leandro Gameiro


 

A linha 2020 do Equinox chega nas concessionárias com três versões e duas opções de motor na versão Premier.

Antes, um pouco da história desse modelo: sua primeira aparição foi em Detroit, em 2003, mas só veio desembarcar no Brasil em 2017, já em sua terceira geração – que permanece até hoje.

Para este ano, as novidades são: novo motor 1.5 turbo e a nova versão Midnight.  

O motor se encaixa em todos os modelos: no de entrada, chamado de LT; no intermediário, nomeado de Midnight; e no topo de linha, Premier, que ainda tem como opção o motor 2.0 turbo, para quem gosta de uma pegada mais forte e não está preocupado com o consumo.

Versão avaliada

Mesmo com 90 cavalos de potência a menos, o Equinox se saiu muito bem. Por ter 172 cv, ele está mais dócil e conta com a opção de ligar e desligar o AWD. Sem o recurso, o Equinox possui somente tração dianteira.

O silêncio a bordo é surpreendente, pois o som conta com um sistema anti-ruído que inibe o barulho externo, deixando a viagem mais aconchegante.

A Chevrolet tem fama de fazer carros bastante confortáveis e com o SUV de luxo não poderia ser diferente. Com toda tecnologia envolvida e segurança a bordo, o Equinox tem interior muito harmônico: tudo combina, deixando motorista e passageiro bem à vontade. Antes de citar todos os itens e a sopa de letrinhas que temos nesse SUV, vou contar como foi dirigir essa “nave”.

 

 
 

Impressões ao dirigir

Um SUV para todo a família. Assim pode se resumir o Equinox que, apesar do seu tamanho, é fácil de acostumar. São 4,65 m de comprimento, 1,84 m de largura, altura de 1,69 m, 2,72 m de entre-eixos e 468 l no porta-malas – com os bancos rebatidos, o volume aumenta para 930 l.  

E por que é fácil se acostumar com um “bichão” desses? Porque tem todos os sensores possíveis e ainda estaciona sozinho. O que achei mais legal é que os sensores não ficam apitando, tudo é informado para o motorista por meio de um TFT central no painel de instrumentos e alertas vibratórios no banco do motorista, ou seja, não incomoda ninguém.  

Por falar em alertas, ele possui detecção de pedestres e carros que estão na frente, alerta de colisão e ele freia sozinho caso o motorista não reaja a tempo. Essa última função não foi testada, pois sempre dirigimos com muita atenção e responsabilidade.  

O desempenho da “nave” na versão Premier é equilibrado. A aceleração é boa e com uma retomada tranquila, afinal, tem um novo câmbio de 6 marchas. Mas, confesso: a versão 2.0, com seus 262 cv e nove marchas, me agrada mais. A direção elétrica progressiva é outra comodidade. No quesito economia, o Equinox provou que está melhor. Em nossos testes, no uso urbano ele fez uma média de 7,3 km/l. Bom? Nem tanto. A surpresa veio no teste rodoviário, quando chegou a fazer 12 km/l. Aí sim fez jus à perda de potência. No geral, pelo conforto, comodidade e ergonomia, o Equinox está aprovado. A versão avaliada, Equinox 1.5 Turbo Premier, custa R$ 154.990 na cor Vermelho Glory. Caso o cliente queira outra cor, terá de desembolsar entre R$ 1.100 a R$ 1.800 a mais.

O Equinox esbanja em segurança. Além dos alertas e sensores, são 6 airbags, sistema de freios com ABS, sistema de distribuição de frenagem (EBD) e assistência de frenagem de urgência (PBA), sistema de tração integral (AWD), faróis em LED com ajuste de altura e luz alta automática, controle de tração e estabilidade, sistema de fixação ISOFIX, entre outros componentes.

Os concorrentes diretos do Chevrolet são: VW Tiguan, Hyundai New Tucson, Peugeot 3008, Jeep Compass e até mesmo o Honda HRV Touring.  

Os preços do Equinox começam em R$ 129.990 na versão de entrada, a LT; a versão Midnight custa R$ 131.900; a versão Premier 1.5, que foi a avaliada, custa R$ 154.990; e a topo de linha Premier 2.0 turbo, chega a R$ 162.990.

 
 

Considerações finais

Está tudo igual, mas diferente. Entendeu? Por fora, ele está igual desde o lançamento, mas agora com mais versões e nova motorização. É perceptível que o SUV quer pegar uma fatia do mercado que ele não alcançava antes. Mesmo assim, o design é arrojado e com o motor turbo pode agradar o público. Com certeza vale o teste drive. Se você está procurando um SUV para a família, é uma opção a ser considerada.

Siga-nos nas redes sociais como @correioestado e @correioveiculos.

 
 

Veja a ficha técnica do Equinox 1.5 Premier Turbo

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.