Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LANÇAMENTO

A startup sueca Volta Trucks dá a volta por cima e estreia com o caminhão Zero

Enquanto o diesel perde espaço no transporte rodoviário de cargas em todo o mundo, a Volta lança um caminhão elétrico de 16 toneladas
16/09/2020 11:29 - Luiz Humberto Monteiro Pereira/AutoMotrix


A startup sueca Volta Trucks acaba de apresentar o seu primeiro veículo, o Volta Zero, um caminhão elétrico de 16 toneladas projetado especificamente para a distribuição de cargas nos centros de cidades.  

A Volta Trucks mantém sua sede em Estocolmo, porém, suas operações comerciais são feitas no Reino Unido. Os primeiros protótipos do Volta Zero devem iniciar a avaliação com os clientes no primeiro trimestre de 2021. A produção em escala industrial deverá acontecer no Reino Unido, em linhas de montagem terceirizadas. Até o final de 2022, a Volta pretende fabricar cerca de quinhentos veículos. Em 2025, a proposta é atingir a produção de 5 mil unidades por ano. “Três pilares definem a Volta Trucks como negócio e também o Zero – segurança, sustentabilidade e eletrificação. Estamos contribuindo diretamente para a migração da sociedade em direção a um futuro eletrificado”, comemora Rob Fowler, CEO da Volta Trucks.  

A ausência de um volumoso motor de combustão interna tradicional permitiu que os projetistas e engenheiros do Zero repensassem completamente o modo como um caminhão normalmente é projetado. No Zero, o motorista se senta em uma posição de direção central com um banco giratório e tem uma ampla visão direta de 220 graus ao redor do veículo. Essa vista panorâmica dos arredores acontece por meio de uma cabine projetada para fornecer uma visibilidade ideal e redução de pontos cegos. A proteção é aprimorada pelo uso de câmeras retrovisoras que substituem os espelhos tradicionais, uma câmera panorâmica de 360 graus mostrando ao motorista todo o entorno e os sistemas de alerta de ponto cego para detectar objetos nas laterais do veículo. O motorista de um Volta Zero posiciona-se muito mais abaixo do que em um caminhão convencional, com sua linha de visão em torno de 1,8 metro, o que facilita a comunicação visual entre o motorista e outras pessoas ao redor. O design da cabine é contemporâneo, com interfaces de usuário intuitivas. Telas sensíveis ao toque em cada lado da cabine são usadas para luzes, controle de temperatura, navegação e planejamento de viagem, comunicação e mídia.

O Volta Zero oferece uma carga útil de 8.600 quilos, com um volume total de 37,7 metros cúbicos. O veículo tem 9,46 metros de comprimento, 3,47 metros de altura e 2,55 metros de largura, com uma distância de entre-eixos de 4,80 metros. O peso bruto do veículo é de 16 toneladas e é limitado a uma velocidade máxima de 90 km/h. Devido ao seu inovador trem de força elétrico, do qual a potência e o torque não foram revelados, o Zero tem 90% menos peças mecânicas do que um veículo com motor de combustão interna de porte equivalente. Como resultado, a Volta Trucks busca atingir o mesmo Custo Total de Propriedade dos veículos movidos a diesel com capacidade de carga similar. Para reforçar a segurança operacional nas regiões centrais das grandes metrópoles, o caminhão da Volta oferecerá sistemas avançados de assistência ao motorista para auxiliar na direção, manobras e estacionamento, como direção ativa, assistência de sinalização e assistente de ré com câmera. Nas estradas, o sistema de alerta de saída de faixa amplia a segurança. O operador da frota também se beneficia de um sistema de monitoramento de status técnico, baseado em inteligência artificial, que evita quebras e aumenta o tempo de atividade do veículo.  

 
 

Segundo a startup sueca, o Zero oferecerá uma autonomia de até 200 quilômetros, sem emissões e sem ruídos vindos do motor. Para mover as rodas traseiras, em vez do motor elétrico convencional e do eixo de transmissão mecânico normalmente adotado por outros caminhões elétricos, o Zero reúne seu único motor elétrico e a transmissão elétrica em uma unidade leve e compacta, que é mais eficiente e libera espaço entre os trilhos do chassi – onde a Volta Trucks aproveita para encaixar a bateria do veículo. O Zero usará baterias de 160 a 200 kWh de lítio-ferro-fosfato. A bateria será modular, permitindo que a Volta adapte o veículo às especificações do operador. Ao contrário das baterias convencionais de níquel-cobalto-manganês, a de lítio-ferro-fosfato não contém metais preciosos, eliminando os problemas de resíduos associados a esses materiais. No final da vida útil, ela poderá ser reciclada e reutilizada como um dispositivo de armazenamento de energia.     

Mas a preocupação da Volta com a sustentabilidade não se limita à reciclagem das baterias. O Zero será o primeiro veículo rodoviário a usar na construção dos painéis externos da carroceria o composto Flax, um material que combina linho natural de origem sustentável e uma resina biodegradável derivada do óleo de semente de colza, uma planta também utilizada na produção de biodiesel. Ao final de sua vida útil, as peças podem ser queimadas e usadas para recuperação de energia térmica, ao contrário de materiais compostos convencionais, que geralmente são enviados para aterros. Esse composto natural não é apenas mais sustentável, é também mais seguro para veículos que operam em ambientes urbanos. Caso ocorra um acidente, o composto Flax se dobra, remodela e se encaixa, oferecendo um comportamento de fratura flexível, sem arestas vivas. Isso reduz o risco de fragmentos pontiagudos que podem ferir pessoas, em caso de acidentes. 

Junto com o Zero, a Volta Trucks pretende apresentar ao mercado um sistema que chama de “Truck as a Service” – algo como “Caminhão como Serviço”, que promete revolucionar o financiamento e a manutenção de frotas de veículos comerciais. O sistema quer oferecer aos gerentes de grandes empresas uma maneira descomplicada de eletrificar sua frota e ainda auxiliar os operadores menores que gostariam de migrar para veículos comerciais elétricos, mas podem ficar intimidados. O “Truck as a Service” se propõe a disponibilizar – por uma taxa mensal única e, segundo a Volta, acessível – um Zero e todos os seus requisitos de serviço, manutenção, seguro e treinamento. E ainda promete fornecer um caminhão de substituição sempre que for necessário, aumentando o tempo de atividade e a eficiência operacional do veículo.

 
 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!