Clique aqui e veja as últimas notícias!

NOVIDADE

A Fiat promove alterações na linha 2021 do subcompacto aventureiro Mobi

A nova versão "top" Trekking se junta à Easy e à Like, e parte de R$ 47.390
27/10/2020 13:49 - Daniel Dias/AutoMotrix


O Fiat Mobi é um subcompacto derivado do Uno de segunda geração e foi lançado em 2016 para ser o rival do Volkswagen Up. Vendeu cerca de 215 mil unidades desde sua estreia e, apesar da pandemia, está entre os modelos que menos perderam emplacamentos em 2020. Em setembro, foram 5.447 unidades, que lhe deram a décima segunda colocação entre os carros mais vendidos do país. No acumulado dos nove primeiros meses do ano, ocupa a décima sexta posição, com 30.2286 unidades vendidas – muito à frente do rival da Volkswagen, que teve apenas 6.507 unidades negociadas no mesmo período. Para a linha 2021, o menor modelo da Fiat acaba de receber pequenas alterações e ganhou uma nova versão, a Trekking. Agora, parte de R$ 38.990 na configuração de entrada Easy, de R$ 46.490 na intermediária Like e de R$ 47.390 na “top” Trekking.  

Com as alterações da nova gama, a Fiat acredita que atenderá melhor às necessidades e aos pedidos dos clientes. A nova versão Trekking se junta à Easy e à Like para oferecer ao consumidor uma solução de mobilidade urbana mais charmosa e com um estilo aventureiro. Depois da nova Strada e do hatch Argo, é a vez do Mobi se alinhar ao movimento de Rebranding de Fiat. Assim, o modelo recebeu o logo Script e a Fiat Flag (a bandeira italiana estilizada junto ao lado esquerdo da grade frontal), que conferem nova personalidade ao veículo.

O Mobi 2021 leva também para seu interior a nova identidade da marca. O logo Script está no centro do volante e na chave. Já a “Fiat” está no revestimento do câmbio, deixando clara a “italianidade” da fabricante. A renovação visual do Mobi se revela em linhas mais modernas no para-choque dianteiro, nas molduras de caixa das rodas, na pintura lateral inferior e nas calotas para a versão Like. A sensação de robustez do modelo é ampliada com a altura livre em relação ao solo entre os eixos, agora de 19 centímetros, e o maior ângulo de entrada (o da frente) da categoria, com 24 graus, permitindo a transposição com mais desenvoltura de obstáculos como valetas, lombadas e buracos que o asfalto ruim das grandes cidades brasileiras apresenta.