Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

MOTO

Em sua melhor forma, Honda CBR 600RR 2020 inicia suas vendas no Japão

O modelo é uma versão atualizada da icônica superesportiva lançada em 2013
01/09/2020 14:58 - Edmundo Dantas/AutoMotrix


A Honda CBR 600RR chega a sua versão 2020 com importantes atualizações técnicas e estilísticas. O trabalho da equipe técnica da marca japonesa teve como lema o “prazer da maneabilidade”, que consistiu em um refinamento geral das características mais admiradas pelos fãs das precedentes versões da CBR 600RR. O início das vendas será em 25 de setembro deste ano, incialmente no Japão. Por lá, o preço anunciado para a esportiva média é de 1.460.000 ienes, quase R$ 78 mil. Não há previsão quanto à chegada do modelo para o mercado brasileiro.

Na parte estética, a nova CBR 600RR mantém a personalidade das superesportivas da Honda, aliada a um desempenho aerodinâmico que visa ao pleno aproveitamento da performance em pista. O redesenho da área frontal e lateral teve como alvo conseguir o menor coeficiente de arrasto aerodinâmico da categoria, contribuindo assim para a melhoria do desempenho em quesitos como aceleração, velocidade máxima e maneabilidade. Apêndices aerodinâmicos conhecidos como “winglets”, cujo desenvolvimento começou nas RC 213V da MotoGP, evidenciam o esmero técnico aplicado à CBR 600RR 2020. Além de um eventual ganho estético, os “winglets” efetivamente geram “downforce”, pressão aerodinâmica que incrementa a estabilidade especialmente na fase de entrada de curvas e nas reacelerações. Completa a lista de novidades da Honda CBR 600RR 2020 a iluminação full-led, o painel de instrumentos de cristal líquido TFT e o comando da embreagem deslizante assistido. O sistema Quick Shifter bidirecional para mudança de marchas sem uso da embreagem será disponibilizado como acessório e vendido separadamente. A nova Honda CBR 600RR será vendida em única versão cromática batizada de Grand Prix Red, na qual predomina o vermelho acompanhado de detalhes em branco e azul, composição que associa o modelo diretamente às Honda de competição e tecnologias desenvolvidas nas pistas.

Equipada com o conhecido motor de quatro tempos arrefecido a líquido, de quatro cilindros em linha, DOHC de 16 válvulas, de exatos 599cc, a potência máxima nesta nova versão é de 121 cavalos a 14 mil rpm, com torque máximo de 6,5 kgfm a 11.500 rpm. Para atingir números tão elevados, a rotação na qual a potência máxima é atingida foi aumentada em 500 rpm em comparação ao motor da CBR 600RR anterior. O ganho de eficiência no sistema de admissão e exaustão foi obtido por meio de dutos de entrada de novo desenho e maior diâmetro, otimização das curvas de escape e alterações no diagrama dos comandos de válvulas

Mesmo com as amplas modificações feitas no motor, a proposta da Honda foi manter uma das mais apreciadas características da CBR 600RR: conciliar a elevada potência com facilidade de condução, que permite aos pilotos desfrutarem das qualidades do motor tanto no uso em pista quanto no dia a dia, seja na cidade, em estradinhas tortuosas ou rodovias. A atualização do “pacote eletrônico” da CBR 600RR 2020 trouxe a tecnologia que permite ao piloto selecionar diferentes “riding modes”, selecionando opções de gestão, alterando o comportamento da motocicleta de acordo com as condições de uso e preferências pessoais. Tal “upgrade” foi possibilitado pela adoção do IMU - Inertial Measurement Unit -, dispositivo que registra em tempo real o comportamento dinâmico da motocicleta. Em parceria com o acelerador eletrônico throttle-by-wire (TBW) e múltiplos sensores, o IMU fornece parâmetros para a atuação de sistemas como o Honda Selectable Torque Control (HSTC), a frenagem eletrônica ABS, o Wheelie Mitigation Control e o Selectable Engine Brake. 

 
 

Felpuda


Esforços vêm sendo feitos por certos candidatos derrotados na tentativa de conseguir emplacar em cargos públicos comissionados alguns ex-integrantes das equipes de trabalho da campanha eleitoral.

A preocupação não seria, na realidade, com situação de dificuldades que essas pessoas enfrentariam a partir de agora, mas, sim, para livrarem-se de pagar pendências trabalhistas referentes ao período da disputa. Tem cada uma!