Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LANÇAMENTO

Ligada na tendência, a Volkswagen apresenta o modelo 2021 do T-Cross

A nova linha aprimora a conectividade ao incorporar o multimídia VW Play, que estreou no Nivus
11/08/2020 09:54 - Luiz Humberto Monteiro Pereira/AutoMotrix


O “timing” foi perfeito. Na mesma semana em que a Fenabrave anunciou que o T-Cross emplacou 10.211 unidades e se tornou o carro mais vendido do Brasil em julho, a Volkswagen apresenta o modelo 2021 do primeiro utilitário esportivo da marca produzido no país. Desenvolvido sobre a Estratégia Modular MQB e apresentado globalmente em outubro de 2018, T-Cross foi lançado no mercado brasileiro em fevereiro de 2019, mas não se tornou um sucesso instantâneo. 

As vendas demoraram a crescer até que, em meio à forte retração generalizada das vendas causadas pela pandemia do coronavírus, o SUV da Volkswagen começou a galgar posições no ranking. Até maio, não aparecia nem entre os dez mais vendidos, porém, em junho, já figurava como terceiro colocado, e assumiu a liderança em julho, ultrapassando as 9.716 unidades vendidas pelo Chevrolet Onix, que há cinco anos lidera as vendas nacionais de automóveis. 

Um fator que embalou as vendas do T-Cross foi a elevada demanda pela versão Sense, para pessoas com deficiência (PCD), responsável por mais de 60% dos emplacamentos em julho. Com as isenções fiscais, a configuração é oferecida por R$ 57.630. Estratégias de vendas à parte, na linha 2021 do T-Cross, a principal novidade é o VW Play, a nova central de infoentretenimento apresentada em julho no Nivus.

Mais do que uma moda, a permanente atualização nos conceitos de conectividade, streaming e serviços tornou-se quase um fetiche no setor automotivo em geral – e especialmente no segmento de SUVs. Assim, a linha 2021 do T-Cross chega às concessionárias equipada com a central VW Play como item de série em todas as versões. Desenvolvido no Brasil, o moderno multimídia apresentado mundialmente junto com o Nivus traz tela sensível ao toque de 10,1 polegadas de altíssima resolução (HD+), antirriscos e somente com botões virtuais. Entre seus recursos está a conexão de internet via smartphone do motorista, que permite ao usuário baixar na própria central, a partir da loja virtual VW Play Apps, diversos aplicativos como iFood (delivery), Deezer (música), Estapar (estacionamento), Porto Seguro (seguro), Waze (navegador) e Ubook (audiobook). 

Para isso, conta com um HD interno com capacidade de 10 gigabytes. A central conta ainda com o Manual Cognitivo e o APP “Meu VW”, que possibilita desde de esclarecer dúvidas referente ao veículo até o agendamento de uma revisão na concessionária de preferência do proprietário.

A linha 2021 do Volkswagen T-Cross preserva as listas de equipamentos de série bem fornidas de itens de conforto, comodidade, praticidade e segurança. Desde a configuração 200 TSI com transmissão manual, o modelo traz de fábrica seis airbags (dois frontais, dois laterais nos bancos dianteiros e dois de cortina), controles eletrônicos de tração (ASR) e estabilidade (ESC), bloqueio eletrônico do diferencial (XDS+), auxílio de partida em rampa (Hill Hold Control), ar-condicionado, retrovisores externos com ajuste elétrico e função “Tilt Down” do lado direito, direção elétrica, lanternas em leds, faróis de neblina com função “Cornering Light”, luz de condução diurna (DRL) em led, rodas de liga leve de 16 polegadas, sensor de estacionamento traseiro, volante multifuncional, vidros elétricos nas quatro portas, sistema Isofix e top tether.

 
 

A versão básica 200 TSI do SUV compacto passa a trazer de série, a partir da linha 2021, com itens que antes só apareciam nas configurações mais caras, como entrada USB no console central, indicador de controle da pressão dos pneus (RKA), regulagem de altura dos faróis e o Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão (Post Collision Brake) -  reconhece o primeiro impacto (frontal), aciona automaticamente o sistema de freios e evita colisões sequenciais. 

Já a versão 200 TSI com transmissão automática ganha a mais em relação à manual o controlador da velocidade de cruzeiro, a saída do ar-condicionado para os ocupantes do banco traseiro, duas saídas USB para recarga de smartphones para os passageiros de atrás, volante multifuncional revestido em couro com “paddles shifts”, descansa-braço central com porta-objetos e dois alto-falantes dianteiros adicionais. 

Assim como na configuração manual, a automática conta com somente um pacote de opcionais, que contempla câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiros, espelhos externos eletronicamente rebatíveis e, como novidade da linha 2021, rodas de liga leve de 17 polegadas Manila diamantadas com parte interna na cor preta (pneus 205/55 R17).

A partir da versão Comfortline, o T-Cross passa a ter de fábrica ar-condicionado com controle digital de temperatura Climatronic, câmera de ré, porta-malas com sistema de ajuste variável de espaço, sensor dianteiro de estacionamento, retrovisores externos com rebatimento automático, iluminação ambiente em leds e sistema Kessy, que permite acesso ao veículo sem o uso da chave e botão para partida do motor. 

Entre as novidades da configuração para linha 2021 estão as rodas de liga leve de 17 polegadas Manila diamantadas com parte interna na cor preta e sistema de Detector de Fadiga do motorista - analisa uma série de parâmetros e identifica se o condutor está cansado, sugerindo, por meio de um alerta visual e sonoro no painel de instrumentos, um “pit stop” para despertar e depois continuar viagem. 

A versão Comfortline é equipada com o painel de instrumentos Active Info Display, com tela de 10,25 polegadas 100% digital e configurável. Como opcionais mais relevantes para a versão Comfortline estão disponíveis o teto solar panorâmico Sky View, espelho interno eletrocrômico e bancos revestidos parcialmente em couro. 

As configurações Comfortline e Highline são equipadas com o Seletor do Perfil de Condução, gerenciado na tela do VW Play. Por meio de um botão ao lado da manopla do câmbio, o motorista escolhe a experiência de direção entre os modos “Eco”, “Sport”, “Normal” e “Individual”. O sistema atua no gerenciamento do motor, do ar-condicionado e da transmissão.

Já a versão topo de linha Highline se propõe a trazer de série tudo aquilo que a Volkswagen imagina satisfazer o cliente desse segmento. Além de todos os itens da Comfortline, a versão  agrega itens como moldura cromada nos faróis de neblina, frisos cromados na região inferior dos vidros laterais, “rack” de teto em acabamento anodizado prateado, bancos revestidos parcialmente em couro, espelho interno eletrocrômico, pedaleira esportiva com acabamento em alumínio, sensores de chuva e crepuscular e sistema start-stop, que desliga e religa o motor automaticamente quando o T-Cross para em semáforo, por exemplo, gerando maior economia de combustível. 

A Highline ainda conta com alguns opcionais exclusivos, como o sistema de som premium Beats com subwoofer e faróis full-led com iluminação diurna em leds (DRL) integrada. Outro opcional exclusivo da versão é a tecnologia Park Assist 3.0 (assistente de estacionamento), que permite a parada autônoma em vagas paralelas e transversais – e agora com a função de freio de manobra. O teto solar Sky View é opcional, assim como na Comfortline. 

Em termos estéticos e de dimensões, o T-Cross 2021 continua o mesmo: tem 4,20 metros de comprimento, 1,76 metro de largura (sem os retrovisores) e 1,57 metro de altura, com entre-eixos de 2,65 metros. O porta-malas manteve a capacidade para 373 litros. Contudo, com o recurso que ajusta a inclinação do encosto do banco traseiro, esse número pode chegar a 420 litros. O rebatimento do banco dianteiro do passageiro possibilita - juntamente com o traseiro – levar objetos compridos, como bikes ou pranchas. 

As motorizações são as já conhecidas. A 200 TSI é um motor de um litro que combina injeção direta de combustível e turbocompressor e entrega 128 cavalos de potência e 20,4 kgfm de torque. Pode vir com câmbio manual ou automático, sempre com 6 marchas. A 250 TSI traz um motor 1,4 litro com 150 cavalos de potência e 25,5 kgfm de torque, sempre com câmbio automático.

Como ocorreu em toda a indústria automotiva nacional, sob a justificativa da influência causada pela brutal elevação do dólar nos custos dos componentes importados, os preços do T-Cross 2021 também tiveram aumento. A básica 200 TSI com câmbio manual parte de R$ 91.660. Em sua versão automática, sai dos R$ 99.090. Com o mesmo “powertrain”, a configuração intermediária Comfortline 200 TSI começa em R$ 112.120. A “top” Highline 250 TSI custa a partir de R$ 120.600 – mas pode passar de R$ 135 mil, dependendo da cor escolhida e dos opcionais incorporados. 

 
 

Ficha Técnica

Volkswagen T-Cross Highline 250TSI 2021

Motor: quatro cilindros, turbo, flex, 1.395 cm³

Potência: 150 cavalos a 4.500 rpm

Torque: 25,5 kgfm a 1.500 rpm

Transmissão: automática de 6 marchas com mudanças na alavanca e no volante

Tração: dianteira

Suspensão: dianteira com McPherson e traseira com eixo de torção

Direção: elétrica

Freios: disco nas quatro rodas com ABS e EDB

Rodas/Pneus: liga leve aro 17 com pneus 205/55 R17

Carroceria: utilitário esportivo com quatro portas e cinco lugares

Dimensões: 4,20 metros de comprimento, 1,75 metro de largura (sem retrovisores), 1,57 metro de altura e 2,65 metros de entre-eixos

Peso em ordem de marcha: 1.292 kg

Tanque: 52 litros

Porta-malas: 373/420 litros

Preço: a partir de R$ 120.600

 

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.