Clique aqui e veja as últimas notícias!

CAMINHÕES

Veja quais são as perspectivas da Volvo do Brasil para o ano de 2021, após um 2020 complicado

A montadora começa o ano aumentando o ritmo da produção de caminhões e chassis de ônibus em Curitiba
24/02/2021 16:30 - Luiz Humberto Monteiro Pereira/AutoMotrix


Depois de um 2020 complicado em todo o planeta, a Volvo do Brasil inicia o ano contratando quatrocentos trabalhadores em sua fábrica na cidade de Curitiba, no Paraná, para atender a um aumento consistente na demanda por seus caminhões. 

Com as novas admissões, o número de empregados da marca sueca neste início de ano (3.800) já é maior do que no período anterior a pandemia. 

A América Latina é a maior região de negócios de caminhões da Volvo no mundo, mesmo diante do cenário econômico adverso criado pelo coronavírus”, explica Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina. 

A empresa vê bons sinais de recuperação no Brasil, principal mercado do continente. 

Com a retomada de alguns segmentos da economia a partir do segundo semestre de 2020 e indicadores positivos para 2021, a Volvo estima um mercado total de caminhões pesados e semipesados, segmentos em que atua, com um crescimento de até 40%. 

Além do Brasil, os impactos da pandemia foram sentidos nos vários mercados da Volvo na América Latina. Houve redução de entregas para a Argentina, que fechou com oitocentos e dezesseis caminhões (-25%), o Chile, oitocentos e oitenta e oito (-14%) e o Peru, 1.006 (-29%). 

A recuperação de volumes iniciada no Brasil no segundo semestre garantiu entregas totais de 17.812 unidades no continente, número 13% abaixo do período anterior. 

No balanço total, o Brasil representou 85% dos negócios de caminhões da marca, enquanto 15% foram distribuídos entre todos os demais países da América Latina.

Em 2020, a marca encerrou o ano com a entrega de 14.976 caminhões no Brasil, resultado 11,1% inferior ao registrado em 2019, ligeiramente melhor em comparação à média do mercado, que teve queda total de 11,5%, por conta dos reflexos da pandemia. 

O Volvo FH 540 foi o caminhão mais vendido do país em todos os segmentos, dos leves aos pesados, com 5.870 unidades emplacadas. 

O mesmo feito já havia acontecido em 2019. Além disso, o Volvo FH 460 foi o vice-líder da categoria de pesados, com 3.936 unidades emplacadas. 

Nos últimos doze anos, nosso modelo foi líder em pesados por oito vezes. É um caminhão que oferece tecnologia de ponta em segurança e conectividade e entrega baixo custo operacional, baixo consumo de combustível e alta disponibilidade. Em resumo: o FH oferece tudo o que nossos clientes precisam para as mais exigentes operações de transporte”, diz Alcides Cavalcanti, diretor-executivo de Caminhões da Volvo no Brasil. 

Já a linha VM teve crescimento de 24%, com 3.530 emplacamentos em 2020, na soma das versões semipesadas e pesadas. 

No decorrer do ano passado, o modelo ganhou novas versões: o VM City, voltado para o uso urbano e distribuição regional, e o VM Light Mixer, direcionado para betoneiras, com um conjunto (caminhão e implemento) 2,5 toneladas mais leve, permitindo transportar um metro cúbico de concreto a mais.

No segmento de ônibus, a Volvo Buses Latin America reforçou em 2020 mais uma vez sua posição como um dos principais “players” do setor de transportes comerciais na América Latina. 

Foram quatrocentos e quarenta e quatro chassis emplacados no Brasil e setecentos e onze em vários países do continente. Houve ainda exportações importantes de chassis para a África. 

Ao todo, a unidade brasileira da Volvo comercializou 1.402 chassis no ano passado, uma queda de 24% em relação ao período anterior. Um dos destaques foi um grande resultado no segmento de ônibus para fretamento no Brasil. 

As vendas do B270F, o chassi semipesado da Volvo, cresceram 34% em relação ao ano anterior, alcançando um volume de duzentas e dezesseis unidades. 

Foi um ano difícil para todo o setor de ônibus. A pandemia limitou muito o deslocamento das pessoas, seja no transporte urbano, rodoviário, ou de turismo. Tivemos que nos adequar à nova realidade. Ainda que com volumes menores, conseguimos um equilíbrio da operação, mesmo considerando o cenário adverso”, pondera Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses Latin America.

Entre reformas, ampliações e aberturas de novas casas, a Volvo manteve seu plano de expansão da rede, inaugurando a centésima concessionária no país em novembro. 

Naquele mês, foram abertas novas unidades em Barro Alto (GO), Balsas (MA) e Três Lagoas (MS). 

Em dezembro, a Volvo celebrou ainda a abertura de sua maior casa no Brasil, a Lapônia Itu (SP), com quase 15 mil metros quadrados edificados. 

Dentro dos protocolos de saúde e segurança, as concessionárias Volvo se mantiveram em plena atividade.