Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PELA SEGUNDA VEZ

Parede de contenção em obra da Ernesto desaba em frente ao muro que caiu com chuva

Água da chuva que atingiu Capital no mês passado fez parte da obra ceder
10/03/2020 18:27 - Fábio Oruê


Ao mesmo momento em que aconteciam as obras para reparar parte da parede de contenção do rio Anhanduí, na Avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande, que cedeu no dia 20 de fevereiro, a parede contrária - exatamente em frente ao local do outro ocorrido - também desabou, na tarde desta terça-feira (10). 

Agora, com este acontecimento, a pista sentido bairro-centro e a pista contrária estão parcialmente interditadas. O secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese, esteve verificando o desabamento, que faz parte do primeiro lote das obras de revitalização das margens do rio Anhanduí. Ele disse à reportagem que a prefeitura vai arcar com os custos da reparação, que tem previsão de ser concluída em 30 dias. 

Há quase 20 dias atrás, durante forte chuva que atingiu Campo Grande, a parede de contenção também cedeu. O serviço é executado por funcionários do próprio município. Eles estão abrindo ainda mais o buraco para refazer o aterro e a sustentação da estrutura de concreto, o que deve acontecer com o problema surgido nesta tarde.

Funcionários da empresa que venceu a licitação para executar o serviço estão atuando em outra frente na mesma avenida, também para arrumar estragos causados pelo temporal.

*Com informações de Álvaro Rezende

 
 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.