Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

TEMPO

Chuvas em Campo Grande superaram o volume estimado para o mês de outubro

Expectativa era de 134,2 milímetros, mas algumas regiões passaram de 179 mm
30/10/2020 10:00 - Daiany Albuquerque


Faltando ainda dois dias para o fim de outubro, a estimativa para a quantidade de chuva para o mês todo já foi ultrapassada, segundo dados do meteorologista Natálio Abrahão, da Uniderp. 

Para o período, era estimado 134,2 milímetros, mas em algumas regiões, o acumulado chegou a 179,3 mm.

Conforme o meteorologista, esses maiores registros foram na região do Parque dos Poderes e nos altos da Avenida Afonso Pena. De um modo geral, dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), porém, revelam que o total na Capital chegou a 141 mm.

Na chuva de ontem em Campo Grande, que começou na madrugada e durou boa parte da manhã, o acumulado foi de 34 mm na região do Carandá Bosque e nos altos da Avenida Afonso Pena, segundo Abrahão, já na região do Aeroporto Internacional da Capital, base do Inmet, foi de 24,8 mm.

A chuva também chegou em Ponta Porã. Ainda segundo Abrahão, foram registrados pela manhã 41 milímetros, com ventos de 49 km/h e a temperatura na cidade é de 17º.

Bonito também registrou chuva forte, 51,8 milímetros, o dia também foi chuvoso nas cidades de Aral Moreira, Amambaí, Dourados, Itaporã e Santa Rita do Pardo.

Para hoje, a previsão é de possibilidade de pancadas de chuvas isoladas em Mato Grosso do Sul, principalmente na região do Bolsão, central e sul do Estado, de acordo com dados do Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de Mato Grosso do Sul (Cemtec/MS).

A umidade relativa do ar terá variação estimada entre 45% a 95% no Estado ao longo do dia. Com vento fraco a moderado. As temperaturas poderão variar entre 13°C e 31°C e na Capital, a variação está estimada em 15°C a 29°C.

 
 

De acordo com o Inmet, as pancadas de chuva devem permanecer até o fim do mês, com mínima de 15°C em Campo Grande. A partir do dia 1º, o tempo deve seguir firme, com poucas nuvens. A mínima fica em 14°C, mas a máxima sobe para 27°C.

No feriado de Dia de Finados, também não há indicativo de chuva na Capital e a temperatura varia de 16°C a 28°C. Em Corumbá, os termômetros variam de 18°C a 36°C e também não há possibilidade de chuva. Já em Ponta Porã, a máxima chega aos 31°C.

TESTE

As duas bacias de contenção de enchentes, construídas nos bairros Nova Lima e Vila Nasser, ajudaram a evitar que problemas pudessem ser sentidos na cidade com a chuva de ontem, em Campo Grande. 

Segundo o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese, as obras conseguiram reter a vazão da água e evitar que ela fosse parar nos córregos.

“Foi uma chuva forte, que durou um bom tempo e poderia, sim, causar estragos, com volume maior e em velocidade maior nos córregos. Foi bom para ver que elas estão funcionando bem”, declarou.

As construções do Nova Lima fazem parte do Complexo José Tavares, onde foi construída a bacia de contenção para evitar que toda a água pluvial acumule no Córrego Segredo, fazendo-o transbordar, o que causa os alagamentos na região da Avenida Rachid Neder.  

A obra, que tem recursos de R$ 18,1 milhões, foi executada pela Prefeitura de Campo Grande, em parceria com o governo do Estado. A bacia também ajudará a conter a erosão no Parque Estadual Matas do Segredo.

No caso da obra no Bairro Vila Nasser, a construção foi feita para evitar que a água da chuva fosse para o Córrego Imbirussu. 

A piscina de contenção foi construída em uma área de 5 mil metros quadrados, com capacidade para reter 10 mil metros cúbicos de água da chuva. Essa obra evitará cheias do córrego, que podem causar alagamentos nos arredores do Bairro Popular, região oeste de Campo Grande.  

Segundo a prefeitura, a bacia de retenção vai segurar a enxurrada que desce da parte alta do Santa Luzia e do Bairro Vila Nasser. Deste ponto, escoará pela rede existente até a Avenida Miguel Vieira e desembocará no Imbirussu.

A Prefeitura de Campo Grande ainda tem projetos para a construção de barragens nos córregos Segredo e Prosa, para contenção de águas pluviais.  

A ideia existe desde 2018, entretanto, até agora, a gestão não conseguiu viabilizar as obras, porque é necessário o investimento de R$ 120 milhões, verba que a cidade não conseguiu com o governo federal ainda. 

(Colaborou Carol Alencar Cozzatti) 

 

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!