Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

BOTIM COVID-19

Covid-19 matou 75% mais pessoas em Campo Grande no mês de agosto se comparado a julho

Média móvel de casos segue acima das 800 notificações por dia e contribuem para aumento de mortes no estado
31/08/2020 12:34 - Rodrigo Almeida


Só em agosto, Campo Grande computou 211 óbitos pela covid-19, aumento de 75% em relação ao mês de julho. MS tem até hoje 862 mortes notificadas, mais da metade de residentes da Capital. São 452 mortos ao todo.  

De ontem para hoje 11 novos óbitos compuseram o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde. Campo Grande perdeu dez residentes e Ponta Porã, um. A média móvel no estado segue estável em 13,1 notificações diárias. 

Fechado no domingo, 30, às 19 horas, MS apresentou 415 novos casos de covid-19 no boletim desta segunda-feira, 31. Geraldo Resende, Secretário de Estado de Saúde (SES), explica que este número está “longe do real”, porque nos finais de semana as equipes de saúde estão de folga e alguns casos não são contabilizados.

Isso explica a média móvel se manter em 839 casos, mesmo com a queda expressiva no período. Apenas Campo Grande corresponde a 249 notificações. Corumbá com 48, Dourados, 28, Aquidauana, 21 e Ponta Porã, 11 fecham a lista de municípios mais afetados no fim de semana.

Atualmente, o estado já notificou 48 937 casos e é bem provável que com o represamento dos casos do final de semanas, agosto termine com mais de 50 mil notificações em MS. 

O lado positivo é que mais de 41 mil pessoas já se recuperaram da Covid-19, no entanto, 7 009 pessoas ainda estão em tratamento entres sujeitos hospitalizados ou afastados do convívio social. 

A ocupação de leitos SUS em MS segue em níveis preocupantes nas Macrorregiões de Campo Grande, Dourados e Corumbá. Com taxas de 71%, 73% e 73% respectivamente. 

Geraldo Resende finaliza dizendo que “os números ainda não são definitivos e devem ser atualizados e corrigidos com o fechamento do mês”, explicou o titular da SES. 

 
 

Felpuda


Tropas de choque ligadas a alguns vereadores estão agitadas que só nas redes sociais na tentativa de desbancar a concorrência das “chefias” que querem porque querem. Querem a cadeira maior da Câmara Municipal de Campo Grande. A da presidência.

Segundo políticos mais antenados, trata-se do “segundo turno” das eleições do dia 15 de novembro, só que com apenas 29 eleitores.