Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

SAÚDE

Drones auxiliam agentes de saúde e Corpo de Bombeiros a identificarem focos do mosquito da Dengue, Chikungunya e Zika

Equipamento serve para encontrar criadouros do mosquito em lugares inacessíveis aos agentes
21/11/2020 12:27 - Naiara Camargo


Na capital, o Corpo de Bombeiros Militar disponibiliza drones que identificarão focos do mosquito em quintais, telhados e caixas d'água. Além disso, duas viaturas e por volta de 20 militares acompanharam a campanha do “Dia D” de combate à Dengue, Chikungunya e Zika.

O evento ocorreu na manhã deste sábado (21), na Escola Estadual Dr. Arthur de Vasconcellos Dias, bairro Estrela do Sul, em Campo Grande.

Acompanhe as últimas notícias

O intuito é prosseguir no combate ao mosquito Aedes aegypti. O esforço contou com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e Corpo de Bombeiros Militar. 

“O Corpo de Bombeiros nesse processo vem auxiliar, trazendo nossas viaturas, caminhões que possuem escadas, plataformas de acesso a locais de acúmulos de água como telhados, calhas, caixas d’água, locais que muitas vezes o agente teria dificuldade de acessar”, disse Geísa Maria Rodrigues Ferreira Romero, Tenente-Coronel do Corpo de Bombeiros.

“E o auxílio dos drones, que são uma tecnologia que possibilita uma visualização ainda maior, exigindo menos esforço do agente e contribuindo para que ele não venha a enfrentar o risco de acessar um local muitas vezes difícil”, acrescenta Geísa. 

Campanha

Larissa Domingues Castilho de Arruda, Diretora Geral de Vigilância em Saúde, informou que o bairro Estrela do Sul foi escolhido para sediar o evento, pois foi avaliado que essa região é uma das que estão mais comprometidas com focos do mosquito, segundo a avaliação do município. 

Além da Capital, a ação também ocorre em outras 23 cidades do interior de Mato Grosso do Sul. A campanha “Aproveite a Quarentena e Limpe o seu Quintal” é promovida pelo governo do Estado.

Geraldo Resende, secretário estadual de Saúde ressalta que o norte dessa campanha é “Na quarentena, limpe o seu quintal” porque essa, como outras doenças, precisam da contribuição da população.

O secretário municipal de Saúde, José Mauro, também ressalta a importância da colaboração populacional nesse desafio. “É uma situação que haverá necessidade de empenho de todos, todos os funcionários e principalmente a população”. 

“Estamos comemorando o Dia D, que é um dia alusivo à população, a chamar atenção para o combate a dengue”, acrescenta José.

Geraldo conta que houve investimentos para enfrentamento da doença. “Nós conseguimos comprar mais de R$2 milhões em equipamentos. [Foram] cerca de 420 equipamentos: 200 bombas intercostais e mais 200 bombas de pressão, além de 28 bombas grandes que estarão nos veículos e o “fumace”.

Alerta

Combater o mosquito-da-dengue é contribuir para que vidas sejam preservadas. Por isso, a Prefeitura Municipal de Campo Grande (PMCG) alerta para que se retire tudo o que possa acumular água parada para que se evite o criadouro do mosquito Aedes aegypti.

Além disso, é importante usar repelente; não deixar reservatórios, garrafas e pneu destampados; colocar telas de proteção em janelas e virar “bocas” de garrafas para baixo.

“Com as chuvas, devemos redobrar nossos cuidados. Nós, nesses dez meses, já tivemos 42 óbitos em Mato Grosso do Sul, mais de 70 mil notificações e a nossa capital participa com um número expressivo”, afirma Geraldo.

Os agentes de saúde também estão cooperando com essa causa nobre. Eles estão entregando folhetos, conversando com moradores, e adentrando nas casas para verificar se há algum foco.

Osney Brito da Silva, provedor de internet, conta que nessa quarentena está cuidando mais de seu quintal. “Já que meu quintal é todo calçado, não deixo nada de boca para cima. É tudo virado. As plantas [coloco] debaixo da varanda para não pegar umidade e chuva”, declara.

 
 

Felpuda


Racha em entidade religiosa teve péssimas consequências eleitorais na disputa por vagas na Câmara Municipal de Campo Grande.

O quiproquó, também, digamos, com nuance familiar, provocou estragos da-que-les.

Aí, como consequências, fez com que quem está não conseguisse votos suficientes para permanecer em 2021-2024 e quem estava fora tentando retornar ficasse à beira do caminho. 

Como se vê...