Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EDUCAÇÃO

Escolas das redes municipal e estadual entram em recesso de uma semana

Aulas presenciais estão suspensas até 7 de setembro, mas secretarias já sinalizaram que haverá prorrogação
31/08/2020 10:32 - Glaucea Vaccari


Escolas das redes estadual de Mato Grosso do Sul e municipal, de Campo Grande, entraram em recesso nesta segunda-feira (31), pelo período de uma semana.

Conforme divulgado pelas secretarias de Educação, o objetivo é proporcionar período de descanso para profissionais e alunos, que tiveram as férias de meio do ano antecipadas para maio neste ano, devido à pandemia do coronavírus.

Com essa antecipação, houve acúmulo de três bimestres para as próximas férias, o que causa sobrecarga, tendo em vista que geralmente são dois bimestres e a pausa.  

Durante o período de recesso, de hoje até o dia 7 de setembro, não haverá nenhum tipo de atendimento nas escolas, presencial ou remoto, nem por aplicativo ou plataforma de comunicação.

Alunos também não terão atividades remotas durante a semana.  

As aulas presencias estão suspensas até 7 de setembro, mas governo e município já confirmaram que haverá prorrogação.

No Estado, as aulas devem voltar em outubro, segundo informou a Secretaria Estadual de Educação (SED), mas a data dependerá do avanço do coronavírus. Município não informou possíveis datas de retorno.

Segundo a (SED), toda a estrutura necessária para o retorno das aulas presenciais está em processo de montagem.  

Campo Grande também montou um grupo para criar um plano de biossegurança para quando houver a volta às aulas presenciais na Reme. Entre os itens, há previsão de termo de consentimento e um 'check list'.

Os estudantes estão assistindo às aulas remotas desde o mês de março, através da internet, transmissão pela TV Aberta e recebimento de materiais impressos nos casos em que não há conectividade com sinal de televisão ou internet.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!