Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Estudantes do município continuam sem aulas até setembro

Medida é devido ao aumento de casos da Covid-19
29/07/2020 10:49 - Glaucea Vaccari


Assim como o governo do Estado, Prefeitura de Campo Grande também prorrogou a suspensão das aulas presenciais nas escolas municipais para até o dia 7 de setembro.

Decreto foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial do Município.  

As aulas presenciais da Rede Municipal de Ensino (Reme) estão suspensas desde o dia 18 de março deste ano.

Conforme a prefeitura, a prorrogação suspensão das aulas é uma das medidas de enfrentamento à situação de emergência em saúde pública, com objetivo de evitar a disseminação da Covid-19, principalmente pelo aumento e casos e ao inverno, quando há aumento de doenças respiratórias.

Segundo o Executivo municipal, escolas continuarão disponibilizando materiais com conteúdos curriculares aos alunos do ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA), e cadernos de experiência direcionados aos alunos do berçário.

Também continuam as aulas remotas via internet e televisão aberta.

As unidades escolares continuam em funcionamento administrativo, com servidores trabalhando em sistema de rodízio.

 
 

Medidas

Para o possível retorno das aulas presenciais, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) está elaborando plano de biossegurança e têm feito aquisições de equipamentos de proteção individual (EPIs) para entregar aos 108.885 alunos e profissionais da área.

Secretaria também está criando uma comissão com vários órgãos para dar prosseguimento ao plano, que inclui integrantes das secretarias de  Educação, Saúde, Meio Ambiente e Gestão Urbana, Gestão, Finanças e do Legislativo, com membros da Comissão de Educação da Câmara.

Após a finalização do documentos, serão definidas as mudanças estruturais que precisarão ser feitas nas 94 escolas da Rede municipal. 

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.