Clique aqui e veja as últimas notícias!

CRISE

Pode faltar medicamentos para intubação nos hospitais de Campo Grande

Na Santa Casa, remédios podem acabar em uma semana; Regional tem dificuldade de encontrar fornecedores
08/08/2020 10:00 - Daiany Albuquerque


A crise no sistema de saúde de Campo Grande não está só na demanda por leitos, mas na dificuldade em se encontrar medicamentos necessários para manter os pacientes graves intubados. 

Isso porque, com a grande demanda nas distribuidoras em todo o País nos últimos meses, alguns hospitais da Capital já enfrentam dificuldade em encontrar esses remédios.

Santa Casa

De acordo com a Santa Casa de Campo Grande, maior hospital de Mato Grosso do Sul, o estoque de anestésicos, analgésicos e bloqueadores neuromusculares está ao nível crítico.

“Alguns deles [medicamentos] só temos para mais uma semana, diante da atual demanda”, alertou o hospital, através de sua assessoria de imprensa.

Segundo a nota, a unidade tem comprado os medicamentos de fornecedores diferentes, mas os laboratórios não têm conseguido enviá-los e cancelam os pedidos.

“A produção da indústria farmacêutica está abaixo da demanda dos hospitais. 

Antes, conseguíamos fazer empréstimos com hospitais que ainda tinham no estoque, mas, atualmente, isso não é mais possível. O País todo está enfrentando essa situação”, continuou o hospital.

El Kadri

Que também atende pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS) através de contrato com a prefeitura, os estoques estão baixos e a maior dificuldade encontrada está na compra de bloqueadores neuromusculares.

“Quando está chegando, chega material para cinco dias no máximo. Vou batalhando, tentando vários fornecedores, qualifiquei vários outros fornecedores que não conhecia, para nós tentarmos. Estamos em busca permanente. Está sendo uma batalha manter regular o atendimento. Estamos conseguindo, mas com muita dificuldade”, declarou Rudiney Leal, diretor administrativo do centro médico.