Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

BATALHA

Prefeitura vai recorrer de aumento na passagem de ônibus, diz comunicado

Reajuste durante gestão Marcos Trad foi feito de acordo com o IPCA e por força contratual
24/10/2020 16:01 - Da Redação


Decisão judicial que determina a cobrança do Imposto sobre Serviço (ISS) vai ser contestada pela administração municipal, afirma assessoria de imprensa da Prefeitura de Campo Grande. 

Segundo o comunicado, a Prefeitura relembra que, durante os três anos de gestão Marcos Trad, o reajuste foi feito acompanhando o IPCA e por força contratual. 

De acordo com a nota, a tarifa saltou de R$3,70 em 2017 para R$4,10 em três anos, com reajuste total de 15,49% no período. 

Na gestão anterior, no entanto, a tarifa saiu de R$2,70 em 2013 para R$3,55 de 2016, um aumento percentual de 31,48%. 

Nesta semana, o Consórcio Guaicurus entrou com um mandado de segurança alegando ter que arcar com a carga tributária, sobrecarregando as despesas para o exercício deste ano.

Relembre 

Lei municipal nº 220, regulando a isenção do ISS para reduzir o valor da tarifa foi revogada no final de 2019, tendo como justificativa a necessidade do aumento da arrecadação.

Contudo, a revogação ainda não tinha sido feita no momento do cálculo do preço da passagem de 2020 quando a PMCG informou tarifa de R$4,10 em 26 de dezembro de 2019. A normativa sai de vigência somente cinco dias depois, em 31 de dezembro.

Com esta justificativa, o Consórcio Guaicurus interpôs Mandado de Segurança contra a determinação proferida pelo prefeito Marcos Trad (PSD) e pelo Presidente da Agereg, Vinícius Leite Campos.

 
 

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!