Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROSSEGUIR

Capital melhora classificação em monitoramento da pandemia com rastreamento de casos

Campo Grande deixou grau extremo (preto) e agora é está com a cor vermelha – risco alto
15/08/2020 09:30 - Daiany Albuquerque, Glaucea Vaccari


Campo Grande deixou a classificação de grau extremo na pandemia de Covid-19 do programa Prosseguir, criado pelo governo do Estado, em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), para ajudar os municípios a tomarem decisões de restrições ou aberturas. 

Segundo o secretário de Governo de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, um dos motivos que levou a essa melhora foi o rastreamento de contatos de casos confirmados feito pelo município.

A Capital passou o mês de julho entre as cidades com os piores índices da doença, de acordo com os dados do Estado. Entretanto, a atualização do mapa situacional do Prosseguir, feita entre os dias 2 e 8 deste mês, mostrou que a cidade apresentou melhora e saiu de uma das piores colocações para a faixa vermelha – risco alto para a doença.

Durante a apresentação dos dados, o secretário falou que alguns pontos fizeram com que Campo Grande melhorasse sua posição em relação a relatórios anteriores. Uma dessas mudanças citadas por ele foi o rastreamento dos contatos das pessoas que foram infectadas com a doença.

“Campo Grande, que melhorou a busca por contatos de casos confirmados, ampliou sua capacidade de testagem em parceria com o governo estadual e apresentou uma disponibilidade de equipamentos de proteção individual [EPIs] satisfatória. 

Indicadores fundamentais para conter o aumento do número de casos, que foram decisivos para a mudança de faixa. Mas isso não significa que podemos relaxar: o fato de termos 21 cidades na faixa de risco alto nos deixa em alerta e o desafio é, justamente, atuarmos nas recomendações para essas cidades”, afirmou o secretário.

Com isso, as indicações repassadas para a Capital pelo programa mudam e ficam um pouco mais brandas, apesar de ainda serem restritivas. Nesta fase, além das atividades essenciais, o programa também permite a abertura de estabelecimentos de risco baixo para o contágio da doença, como serviços de ambulantes e de hotéis, motéis e outros alojamentos.

Outro ponto diferente é em relação ao transporte público, que com o bandeiramento preto (grau extremo) só era permitido para passageiros que trabalhassem em atividades essenciais. Agora, toda a população pode fazer uso do transporte, de acordo com as medidas de distanciamento social e lotação máxima do veículo.

Além de Campo Grande, outras 20 cidades estão no risco alto para o novo coronavírus, 10 municípios estão na faixa de risco tolerável, 46 no grau médio (bandeira laranja) e dois (Sidrolândia e São Gabriel do Oeste) no grau extremo (bandeira preta).

Com relação ao mapa anterior, 41 municípios mantiveram seu grau de risco, 31 melhoraram e 7 pioraram. “Se os municípios melhoraram, foi porque enxergaram no Prosseguir alguns indicadores que precisavam ser trabalhados. Esse era o nosso objetivo”, avaliou Riedel.

“Esse programa não é contra ninguém, não é contra nenhum município. Ele é contra o coronavírus e é contra a crise econômica. Ele é a favor de Mato Grosso do Sul, a favor do bom desempenho que estamos tendo no combate ao coronavírus e do bom desempenho que estamos conseguindo em relação aà nossas atividades”, completou o secretário sobre o programa.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!