Clique aqui e veja as últimas notícias!

COVID-19

Resende diz que Estado tem seringas e agulhas suficientes para iniciar vacinação

Secretário disse que início da imunização depende do Ministério da Saúde
08/01/2021 14:04 - Glaucea Vaccari


Com a divulgação dos resultados e o pedido de autorização temporária para uso emergencial da vacina Coronavac, expectativa é que a imunização comece ainda neste mês. Secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, afirmou que Mato Grosso do Sul tem seringas e agulhas suficientes em estoque para a vacinação.

"Seringas e agulhas já temos em quantidade suficiente, tanto no estoque da secretaria, quanto também fizemos o levantamento dos estoques das secretarias municipais dos 79 municípios do nosso Estado, e estamos no processo de aquisição de seringas e agulhas e outros insumos para que a gente tenha ao longo desse processo de imunização, que vai consumir vários meses", afirmou Resende.

Últimas notícias

Conforme Resende, não é possível afirmar uma data para início da aplicação das vacinas, nem a quantidade de doses que o Estado irá receber.

"Isso vai depender do Ministério da Saúde, vai depender da remessa do quantitativo dessas vacinas que o Ministério há de fazer. A fala do general Pazuello [ministro da Saúde] foi bastante clara, que nós vamos receber simultaneamente, ou seja, no mesmo tempo que outros estados, o quantitativo proporcional a nossa população", disse Resende, em live nesta sexta-feira (8).

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu hoje, o pedido de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, da vacina CoronaVac. 

A solicitação foi feita pelo Instituto Butantan, que conduz os estudos da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela empresa Sinovac no Brasil.

Enquanto aguarda a aprovação da Anvisa, o governo já tem definida uma força-tarefa para distribuição das vacinas quando elas forem encaminhadas ao Estado.

"Nós criamos aqui a logística, com a construção de uma força-tarefa, que nós haveremos de disponibilizar em apenas 48 horas para todos os postos de vacinação do Estado, e serão quase 600 postos de imunização nos 79 municípios, as vacinas, para que elas possam ser feitas também no mesmo tempo que se faz aqui na Capital, em qualquer cidade do Estado", explicou o secretário.

A distribuição será feita com apoio do Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar e equipes da Secretaria Estadual de Saúde e outras secretarias e órgãos do governo. Todas as pessoas que atuarão no esquema já foram treinadas, segundo Resende.

Ainda conforme o secretário, quando as doses estiverem disponíveis, a imunização será feita aos sábados, domingos e feriados, para atingir o maior número possível de pessoas do público prioritário.

Uso emergencial

A meta da Anvisa é fazer a análise do uso emergencial em até dez dias, descontando eventual tempo que o processo possa ficar pendente de informações, a serem apresentadas pelo laboratório.

Para fazer a avaliação, a Anvisa vai utilizar as informações apresentadas junto com o pedido e também os dados já analisado por meio da Submissão Contínua. 

A análise do pedido de uso emergencial é feita por uma equipe multidisciplinar e envolve especialistas das áreas de registro, monitoramento e inspeção.

Ontem (7), o Ministério da Saúde anunciou a assinatura de contrato com o Instituto Butantan para adquirir até 100 milhões de doses da vacina CoronaVac para este ano.

O contrato envolve a compra inicial de 46 milhões de unidades, prevendo a possibilidade de renovação com a aquisição de outros 54 milhões de doses posteriormente.

* Com Agência Brasil