Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONTRA O CORONAVÍRUS

UFMS fabrica EPIs e álcool para hospital de Campo Grande

Servidor emprestou equipamento e universidade disponibilizou material para fabricar protetor facial
03/04/2020 13:59 - Adriel Mattos


 

A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) está produzindo equipamentos de proteção individual (EPIs) e álcool em gel para uso dos profissionais do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS). São protetores para o rosto e álcool 80% glicerinado, com baixo custo de fabricação.

Com uma impressora 3D, pesquisadores estão produzindo suportes para protetor facial com visor acrílico. “Até a próxima semana teremos 70 máscaras completas para entregar ao Hospital Universitário. Produzimos o suporte e o elástico e o acrílico que completam o EPI são providenciados pelo Humap”, explica o diretor da Agência de Tecnologia da Informação e Comunicação (Agetic), Luciano Gonda.

A produção varia conforme a impressora e, em média, cada peça é impressa em três horas. O primeiro parceiro foi o servidor da Sead Eduardo Luís Figueiredo de Lima, que tinha impressora 3D em casa e se dispôs a imprimir o material. A Sead disponibilizou PLA que estava guardado para possíveis impressões futuras de outros materiais.

“Fomos atrás de possíveis laboratórios da UFMS que possuem a impressora 3D, como a Faculdade de Computação (Facom) e o Instituto de Física (Infi) que já se dispuseram a ajudar”, afirma Luciano.

A produção varia conforme a impressora e, em média, cada peça é impressa em três horas. O primeiro parceiro foi o servidor Eduardo Luís Figueiredo de Lima, que tinha impressora 3D em casa e se dispôs a imprimir o material. A Secretaria Especial de Educação a Distância (Sead) da universidade disponibilizou polímero sintético termoplástico (PLA) que estava guardado para possíveis impressões futuras de outros materiais.

“Fomos atrás de possíveis laboratórios da UFMS que possuem a impressora 3D, como a Facom [Faculdade de Computação] e o Infi [Instituto de Física] que já se dispuseram a ajudar”, afirma Luciano.

ÁLCOOL

Já o Laboratório de Tecnologia Farmacêutica (LTF), da Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Alimentos e Nutrição (Facfan) da UFMS realizou essa semana a entrega dos primeiros 84 litros de álcool etílico glicerinado 80%, que serão utilizados pela comunidade interna na UFMS.

No primeiro momento, quatro professores da Facfan produziram dez quilos de álcool em gel e mais 150 litros do álcool etílico glicerinado 80%, ambos indicados para assepsia das mãos.

“Estamos manipulando de acordo com a demanda, com o aumento da procura, mas a capacidade produtiva do Laboratório é bem maior do que isso, e à medida que forem chegando os pedidos vamos aumentar a produção”, explica o professor da Facfan Teófilo Fernando Mazon Cardoso.

O álcool etílico glicerinado 80% tem na sua formulação álcool, glicerina, peróxido de hidrogênio e água. A glicerina funciona como hidratante para as mãos, já que a alta concentração de álcool resseca a pele. O certo é utilizá-lo com um borrifador.

Para produções futuras, acadêmicos e outros profissionais serão inseridos no processo. A UFMS publicou editais voltados aos estudantes, servidores e pesquisadores que queiram atuar como voluntários e/ou desenvolver pesquisas, ações de extensão e inovação que contribuam para o combate ao vírus.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!