Economia

Celulose

Fábrica de R$ 22 bilhões entra em operação sem chance para palanques

Início da operação da indústria será um procedimento técnico-operacional interno, e não haverá evento externo, informou a assessoria da Suzano, ao Correio do Estado, sobre a ativação da unidade de Ribas do Rio Pardo ainda no mês de junho

Continue lendo...

Em uma época em que até lançamento de licitação de obra pública é motivo para evento político, a maior fábrica em linha única de celulose do mundo entrará em funcionamento em Ribas do Rio Pardo sem nenhum tipo de solenidade ou festa. Ou seja, a “inauguração” do empreendimento que recebeu R$ 22,2 bilhões de investimentos não poderá ser utilizado como palanque por nenhum político.

“O start-up da fábrica, como é chamado o início das operações industriais, será um procedimento técnico-operacional interno, e não haverá evento externo relacionado”, respondeu a assessoria da Suzano ao ser indagada sobre o dia exato da ativação ou sobre a possibilidade de alguma festa de inauguração.  

Para efeito de comparação, em dezembro de 2012, quando da inauguração da fábrica da Eldorado Brasil Celulose, em Três Lagoas, hove “festa” com a presença do presidente em exercício, Michel Temer, e show do tenor italiano Andrea Bocelli para cerca de 800 convidados. 

“As obras de construção da nova fábrica de celulose da Suzano em Ribas do Rio Pardo estão em fase final, com conclusão dentro do prazo e orçamento previstos, e atualmente o empreendimento se encontra em comissionamento. Este é o maior investimento da história de 100 anos da Suzano e um dos maiores investimentos privados do Brasil durante a sua execução, entre 2021 e 2024”.

Ainda conforme a assessoria, “a unidade entrará em operação até o final de junho de 2024, como previsto. A capacidade instalada permitirá a produção de 2,55 milhões de toneladas de celulose de eucalipto por ano”. Inicialmente, a previsão era de que o projeto estivesse pronto somente no final de 2024, mas foi antecipado em um semestre. 

No pico das obras, há um ano, dez mil pessoas chegaram a trabalhar na instalação da fábrica. A partir de agora, porém, o empreendimento deve garantir trabalho permanente para cerca de três mil pessoas. Parte delas vão residir em um conjunto habitacional com mais de 900 casas que a empresa construiu em Ribas do Rio Pardo.  

Imagens aéreas divulgadas rotineiramente pela empresa mostram que centenas de carregamentos de eucaliptos, procedente do distrito de Palmeira, em Dois Irmãos do Buriti, já estão estocados na fábrica para garantir o início da produção. 

Porém, para garantir matéria-prima para a fábrica, a empresa, que já tem uma unidade em Três Lagoas, tem em torno de 600 mil hectares próprios de florestas plantadas no Estado. Somente no viveiro de Ribas do Rio Pardo são produzidas em torno de 35 milhões de mudas por ano.

E para abastecer esta megaestrutura, a Suzano vai utilizar os chamados hexatrens, que são carretas com seis semirreboques. Elas vão circular somente em estradas secundários, pois a velocidade é baixa para trafegar em pistas asfaltadas. 

Pelo menos 16 hexatrens já estão operando, o que colabora com a retirada de pelo menos 50 caminhões das rodovias estaduais, uma vez que esses veículos circulam somente dentro de áreas da própria empresa. 

EXPORTAÇÃO

Praticamente toda a produção será destinada à exportação. Quando estiver operando com a capacidade máxima, serão em torno de 140 carretas que deixarão diariamente a indústria, cada uma levando em torno 50 toneladas de celulose. 

Elas vão percorrer a BR-262 até Água Clara e depois trafegar pela MS-377 até Inocência, onde está sendo concluído um terminal intermodal às margens da ferronorte para fazer o embarque desta material rumo ao Porto de Santos. 

“O novo terminal está em fase final de implantação, com as obras civis já concluídas, e estará pronto para receber a produção assim que a fábrica entrar em operação”, informou a assessoria da Suzano. 

Às margens da MS-240, o terminal contará com uma área construída de 24,2 mil metros quadrados, dos quais 21,5 mil metros quadrados correspondem à área de armazéns. O empreendimento contempla ainda 8,8 mil quilômetros de linha ferroviária interna e externa, que incluem ramais para vagões em reserva.

PREÇO NAS ALTURAS

Em um ano marcado pela queda significativa no preço dos grãos e da carne bovina, a celulose fez o caminho inverso e em 2024 está com os preços 35% maiores que no primeiro quadrimestre de 2023, passando de uma média de 343,7 dólares por tonelada para 464.

Nos primeiros quatro meses de 2024, conforme números da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), as duas indústrias locais, Suzano e Eldorado, ambas de Três Lagoas, exportaram 1,36 milhão de toneladas, o que significa redução de 5% ante igual período do ano passado.

Mesmo assim, o faturamento foi 27% maior, chegando a 631,5 milhões de dólares em quatro meses. Metade disso, US$ 315,3 milhões, é proveniente das vendas feitas para a China, que também é o principal destino das carnes e dos grãos exportados por Mato Grosso do Sul. 

TROCA DE COMANDO

A inauguração silenciosa do empreendimento bilionário acontece em meio à troca de comando da Suzano. Em fevereiro a empresa anunciou que João Alberto Fernandez de Abreu, diretor-presidente da operadora logística Rumo, renunciou ao cargo para assumir a função de novo CEO da Suzano. Ele vai substituir o empresário Walter Schalka, que comandava o grupo desde 2013.

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Suzano informou que a partir do dia 2 de abril Schalka e Abreu irão conduzir conjuntamente o processo de sucessão -até julho, quando a troca será efetivada.

Ainda segundo a empresa, Schalka será indicado para compor a chapa na próxima eleição do conselho de administração e depois deverá integrar comitês como os de sustentabilidade e de gestão e finanças.

Assine o Correio do Estado


 

OPORTUNIDADE

Com salário de R$20,9 mil, concurso do BNDES terá provas na Capital

Serão 900 vagas com carga horária de 35h semanais; as inscrições serão abertas no dia 26 de julho

22/07/2024 15h00

Com salário de R$20,9 mil, concurso do BNDES terá provas na Capital

Com salário de R$20,9 mil, concurso do BNDES terá provas na Capital Extraído da Internet

Continue Lendo...

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou nesta segunda-feira (22), o edital do concurso público destinado ao cargo de analista formado em diversas áreas do ensino superior, ao todo serão 900 vagas de nível superior, sendo 150 para início imediato e 750 para cadastro reserva. Não haverá vagas para o segmento de Nível Médio.

A data provável da prova está marcada para o dia 13 de outubro de 2024. Aos interessados, as inscrições poderão ser feitas do dia 26/07 a 19/08 no site da Fundação Cesgranrio banca organizadora do processo seletivo.

Para realizar a inscrição, será cobrado uma taxa de R$110. Candidatos doadores de medula óssea em entidades reconhecidas pelo Ministério da Saúde e inscritos no CadÚnico, terão a oportunidade de solicitar isenção da taxa.

A remuneração inicial será de R$20,9 mil, entre os benefícios adicionais estão: assistência educacional (auxílio babá, creche e ensinos fundamental e médio); plano de previdência complementar, bem como demais vantagens estabelecidas por normas complementares específicas vigentes à época da contratação; benefício de assistência à saúde.

A princípio, todos os novos empregados deverão ser lotados no Rio de Janeiro, com uma carga horária de 35h semanais. Já as provas, deverão ser aplicadas em todas as capitais estaduais e no Distrito Federal.

Outras vantagens que podem ser aderidas, está o teletrabalho, que pode ser feito desde que haja compatibilidade das atividades de trabalho e do perfil do(a) empregado(a), sendo possível trabalhar remotamente até 2 (dois) dias na semana. 

Empregados(as) que sejam pessoas com deficiência (PcD) ou responsáveis por PcD, é possível o trabalho remoto por até 15 (quinze) dias por mês. No entanto, a continuidade do Programa, nos termos atuais, é prerrogativa da Diretoria Executiva do BNDES, que pode alterá-lo ou revogá-lo, a qualquer tempo, conforme juízo de conveniência ou oportunidade.

Para os novos empregados as condições de trabalho remoto serão específicas, no entanto o detalhamento das regras ainda está em fase de estudos.

Veja a distribuição de vagas para o cargo de analista:

Com salário de R$20,9 mil, concurso do BNDES terá provas na Capital

Confira o edital completo aqui.

CONTAS PÚBLICAS

Governo de MS já aportou mais de meio bilhão de reais na Previdência em 2024

Os R$ 537 milhões que a previdência dos servidores consumiu da arrecadação equivalem a 8% da receita corrente do quadrimestre

22/07/2024 08h30

Em 2023, a relação entre o regime próprio de previdência de MS e a receita corrente líquida foi estável, ficando praticamente zerada

Em 2023, a relação entre o regime próprio de previdência de MS e a receita corrente líquida foi estável, ficando praticamente zerada Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado

Continue Lendo...

No primeiro quadrimestre deste ano, o governo de Mato Grosso do Sul já precisou aportar pelo menos R$ 537 milhões no Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) de sua receita corrente líquida no período. 

O resultado equivale a 8% da receita corrente dos primeiros quatro meses do ano, que foi de R$ 7,8 bilhões, conforme informações do Relatório Resumido de Execução Orçamentária (RREO) da Secretaria do Tesouro Nacional. 

A relação receita e aportes no regime próprio de previdência de Mato Grosso do Sul só não é pior que a do Estado do Rio Grande do Norte (10%). No ano de 2023, a relação entre o regime próprio de previdência de MS e a receita corrente líquida foi estável, ficando praticamente zerada. 

A situação poderia estar melhor para o Estado, caso ele tivesse o fundo em repartição, que também é chamado de “massa segregada”.

Mas o fundo, que capitalizaria a previdência dos servidores que ingressaram na década de 2010, foi extinto em 2017 na gestão do ex-governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Desde então, passou a existir um plano apenas para todos os servidores, que é praticamente descapitalizado: o plano financeiro. 

DESPESAS

O resultado negativo da previdência de Mato Grosso do Sul influencia em outros números das contas de Mato Grosso do Sul, conforme indica o relatório da Secretaria do Tesouro Nacional. 

O relatório mostra que Mato Grosso do Sul foi o único estado brasileiro com déficit primário em relação à receita corrente líquida no primeiro quadrimestre de 2024.

Todos os outros estados brasileiros, com exceção do Rio Grande do Sul (que não enviou dados em função da tragédia climática), tiveram superávit nas contas, indica a STN.

No primeiro quadrimestre de 2024, Mato Grosso do Sul teve um déficit primário de R$ 30 milhões, enquanto no mesmo período do ano passado, o resultado primário foi um superávit de R$ 740 milhões.

O resultado primário surge do confronto de receitas e despesas primárias no exercício, excluída a parcela referente aos juros nominais incidentes sobre a dívida líquida. A apuração do resultado primário fornece uma avaliação do impacto da política fiscal nas contas públicas.

Em termos percentuais, o resultado primário de Mato Grosso do Sul sobre a receita corrente líquida é praticamente estável, mas ficou ligeiramente abaixo de zero.

Os estados do Maranhão e Rio de Janeiro tiveram os maiores superávits primários do Brasil, com 37% (R$ 4,03 bilhões) e 35% (R$ 10,5 bilhões), respectivamente.

RESULTADO 

Apesar do déficit primário, quando o pagamento dos juros da dívida é excluído, Mato Grosso do Sul apresenta um resultado positivo.

No primeiro quadrimestre, o Estado teve um resultado orçamentário de R$ 760 milhões, que equivale a 11% da receita corrente líquida. No mesmo período do ano passado, esse resultado foi melhor: 14% da receita corrente líquida da época, nominalmente R$ 930 milhões.

AUMENTO DE DESPESAS

Uma das explicações para o déficit primário e um resultado orçamentário menor para Mato Grosso do Sul neste ano é o aumento das despesas. Em 2024, o Estado teve um aumento de receita corrente total de 6%, enquanto as despesas aumentaram 10%.

No primeiro quadrimestre de 2023, a receita corrente total foi de R$ 7,38 bilhões, e no primeiro quadrimestre deste ano, de R$ 7,81 bilhões. As despesas, no mesmo comparativo, saltaram de R$ 5,70 bilhões para R$ 6,25 bilhões

O mesmo relatório aponta que Mato Grosso do Sul é o sexto estado brasileiro que mais gasta com pessoal. No primeiro quadrimestre de 2024, comprometeu 54% de sua receita corrente líquida em despesas com pessoal. O percentual só é inferior ao do Rio Grande do Norte (66%), Rio de Janeiro (59%), Paraíba (58%), Goiás (56%) e Minas Gerais (55%).

No que diz respeito ao investimento, Mato Grosso do Sul empata com a Bahia na segunda posição entre os que mais investem. Eles aplicam 9% de sua receita corrente líquida em investimentos. Em primeiro lugar neste quesito aparece o Espírito Santo, que aplica 12% de sua receita corrente em investimentos.

O serviço da dívida representa 3% da destinação da receita corrente líquida do Estado, e as despesas de custeio da máquina pública, 23% das receitas.

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).