Economia

FRONTEIRA

Com UFN3 parada, Lula negocia construção de outra fábrica de fertilizantes na fronteira

Expectativa é que unidade seja construída entre Corumbá, em MS, e Porto Quijarro, na Bolívia

Continue lendo...

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reafirmou, nesta terça-feira (9), que está em negociação a instalação de uma fábrica de fertilizantes na fronteira entre Corumbá e Porto Quijarro. A afirmação foi feita durante encontro com o presidente boliviano Luis Arce, na Bolívia, em visita oficial a Santa Cruz de la Sierra.

"A Bolívia segue sendo o principal fornecedor de gás natural no Brasil. Conversamos sobre a possibilidade de ampliar investimentos nessa área e incrementar o volume exportado para o mercado brasileiro. O Brasil também importa fertilizantes da Bolívia, queremos fortalecer essa parceria com a implantação de uma fábrica de nitrogenatos entre Corumbá e Porto Quijarro", disse Lula.

A possibilidade de uma nova fábrica de nitrogenados já havia sido levantada em outubro do ano passado. Conforme reportagem do Correio do Estado, na fronteira, entre Corumbá e Porto Quijarro, seria produzida a ureia, e o cloreto de potássio, em Coipasa.

Ainda segundo a reportagem, a Bolívia é um aliado para a independência brasileira na produção de fertilizantes e a implementação de indústrias visa diminuir a dependência externa do Brasil. 

Em Mato Grosso do Sul, já há obra para a instalação da Unidade de Fertilizantes III (UFN3), da Petrobras. As obras, no entanto, estão paralisadas desde 2015 e não há previsão para o destravamento.

No encontro com o presidente boliviano, Lula não detalhou como será a parceria e em que fase estão as conversas para a implantação desta nova fábrica na fronteira.

Os líderes conversaram sobre a ampliação das relações entre os dois países e a cooperação mútua para fomentar o desenvolvimento de ambas as nações, por meio da integração física e energética.

O presidente da Bolívia ressaltou que os dois países iniciam uma nova era nas relações bilaterais, não apenas no que se refere aos memorandos assinados, e citou os fertilizantes.

"Isto marca esta nova era de relações entre Brasil e Bolívia. Não somente estamos falando de gás, que é um produto que nós continuaremos explorando, produzindo e comercializando, mas também há outros, como o nosso lítio, como os nossos sais, os nossos minerais, os nossos fertilizantes, essas matérias-primas que temos aqui", disse Luis Arce.

Arce afirmou, ainda, que o país está iniciando um processo de industrialização e necessita da experiência do Brasil na área.

Agenda 

A agenda de Lula na Bolívia incluiu reunião restrita com Arce, seguida por reunião ampliada com autoridades e parte da delegação brasileira.

Lula também participou do Fórum Empresarial Bolívia-Brasil, organizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Ainda no país vizinho, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, assinou nesta terça-feira (9/7) memorandos de entendimento com a Bolívia.

O primeiro prevê a interconexão dos sistemas de transmissão e distribuição de energia elétrica e o segundo documento é para a modificação da operação da Usina Hidrelétrica da UHE Jirau na Cota 90 m. A assinatura aconteceu no âmbito da visita do presidente Lula em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

O terceiro documento é um aditivo ao Memorando de Entendimento sobre assuntos energéticos entre o Ministério de Minas e Energia (MME) e o Ministério de Hidrocarbonetos da Bolívia, assinado em 2007.

O objetivo é promover a integração energética entre os dois países por meio da utilização da infraestrutura de dutos já existente no transporte de gás natural, satisfazendo a demanda do mercado brasileiro. Além disso, ficam previstos a avaliação e execução de projetos de exploração por meio de novos operadores na região.

O objetivo do plano de conexão via sistema de distribuição é o de fornecer energia elétrica a localidades no norte da Bolívia, cujas redes elétricas atualmente operam de forma isolada.

“Essa interligação com o Brasil ajudará a descarbonizar parte da Amazônia entre os dois países, além de dar mais segurança energética aos nossos vizinhos bolivianos”, pontuou o ministro Alexandre Silveira.

A interligação se dará entre as subestações Guajará-Mirim (RO/Brasil) e Guayaramerin (Bolívia), e entre as subestações Epitaciolândia (AC/Brasil) e Cobija (Bolívia).

O outro acordo entre os países foi de otimizar a geração de energia da Usina Hidrelétrica (UHE) de Jirau a partir da flexibilização da regra operativa, de forma a permitir a continuidade da operação na cota 90 m constante ou ampliada durante o período de estiagem com ganhos energéticos ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Localizada no Rio Madeira, a UHE Jirau é a quarta maior geradora de energia do Brasil em capacidade instalada. A UHE Jirau fornece energia renovável para mais de 40 milhões de pessoas.

* Com assessoria

COMPRAS

Contrária a tendência do país, intenção de consumo cresce na capital

Na contramão da queda de 0,2% do país, capital apresentou aumento em mais de uma categoria

22/07/2024 15h30

Aumento na intenção de consumo das famílias reflete otimismo no mercado local de Campo Grande

Aumento na intenção de consumo das famílias reflete otimismo no mercado local de Campo Grande Foto: Arquivo

Continue Lendo...

De modo oposto ao restante do país, a pesquisa divulgada hoje (22) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostrou que a intenção de consumo das famílias (ICF) aumentou durante o mês de julho em Campo Grande (MS).

Segundo a pesquisa, com um aumento 1,7% percentual, a capital apresentou uma intenção de consumo que atingiu 108,5 pontos gerais. No restante do país, a ICF apresentou queda de 0,2% e 101,5 pontos gerais. 

Este aumento na intenção de compra é maior entre as famílias com renda superior a 10 salários mínimos, em que atinge a marca de 2,9%, enquanto entre as de menor poder aquisitivo a variação foi de 1,5%.

Além do aumento na intenção de consumo, as famílias da capital também têm compartilhado otimismo em relação ao mercado de emprego. De acordo com a pesquisa, atualmente, 52% dos entrevistados se sentem mais seguros em seus empregos em relação ao ano passado.  De outro modo, 63% esperam melhorias profissionais durante o segundo semestre de 2024 e 40,6% enxergaram uma melhoria na renda durante os últimos 12 meses. 

Em relação ao consumo atual, a maioria dos campo-grandenses revelou estar consumindo no mesmo ritmo do ano passado, enquanto 35% dizem ter reduzido as compras. Dos entrevistados, somente 20% disseram estarem comprando mais. 

Aumento na intenção de consumo das famílias reflete otimismo no mercado local de Campo Grande

Você pode conferir a pesquisa completa aqui. Para a coleta de dados na capital, foram entrevistadas cerca de 500 famílias. O intervalo de confiança estimado é de 95%.

Brasil

No país todo, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) apresentou em julho o primeiro resultado negativo desde o primeiro trimestre do ano. De acordo com a pesquisa, além da queda mensal de 0,2% na ICF, a queda também pode ser observada na análise anual, com 2,3% de variação, a menor desde julho de 2021.

Da mesma forma, a queda seguiu o resultado da percepção das famílias do mercado de trabalho atual e dos próximos meses, que também apresentaram baixa. 

Você pode conferir a pesquisa completa aqui.

ICF

A Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é um indicador preciso que avalia diversos aspectos cruciais da condição de vida familiar. Estes incluem a capacidade de consumo imediata e futura, o nível de renda domiciliar, a segurança no emprego e a qualidade do consumo presente e projetada. Diferencia-se por ser um indicador preditivo do consumo, baseado na perspectiva direta dos consumidores, sem depender de modelos econométricos. Por essa razão, é uma ferramenta poderosa não apenas para orientar a política econômica, mas também para auxiliar as atividades produtivas, consultorias e instituições financeiras.

OPORTUNIDADE

Com salário de R$20,9 mil, concurso do BNDES terá provas na Capital

Serão 900 vagas com carga horária de 35h semanais; as inscrições serão abertas no dia 26 de julho

22/07/2024 15h00

Com salário de R$20,9 mil, concurso do BNDES terá provas na Capital

Com salário de R$20,9 mil, concurso do BNDES terá provas na Capital Extraído da Internet

Continue Lendo...

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou nesta segunda-feira (22), o edital do concurso público destinado ao cargo de analista formado em diversas áreas do ensino superior, ao todo serão 900 vagas de nível superior, sendo 150 para início imediato e 750 para cadastro reserva. Não haverá vagas para o segmento de Nível Médio.

A data provável da prova está marcada para o dia 13 de outubro de 2024. Aos interessados, as inscrições poderão ser feitas do dia 26/07 a 19/08 no site da Fundação Cesgranrio banca organizadora do processo seletivo.

Para realizar a inscrição, será cobrado uma taxa de R$110. Candidatos doadores de medula óssea em entidades reconhecidas pelo Ministério da Saúde e inscritos no CadÚnico, terão a oportunidade de solicitar isenção da taxa.

A remuneração inicial será de R$20,9 mil, entre os benefícios adicionais estão: assistência educacional (auxílio babá, creche e ensinos fundamental e médio); plano de previdência complementar, bem como demais vantagens estabelecidas por normas complementares específicas vigentes à época da contratação; benefício de assistência à saúde.

A princípio, todos os novos empregados deverão ser lotados no Rio de Janeiro, com uma carga horária de 35h semanais. Já as provas, deverão ser aplicadas em todas as capitais estaduais e no Distrito Federal.

Outras vantagens que podem ser aderidas, está o teletrabalho, que pode ser feito desde que haja compatibilidade das atividades de trabalho e do perfil do(a) empregado(a), sendo possível trabalhar remotamente até 2 (dois) dias na semana. 

Empregados(as) que sejam pessoas com deficiência (PcD) ou responsáveis por PcD, é possível o trabalho remoto por até 15 (quinze) dias por mês. No entanto, a continuidade do Programa, nos termos atuais, é prerrogativa da Diretoria Executiva do BNDES, que pode alterá-lo ou revogá-lo, a qualquer tempo, conforme juízo de conveniência ou oportunidade.

Para os novos empregados as condições de trabalho remoto serão específicas, no entanto o detalhamento das regras ainda está em fase de estudos.

Veja a distribuição de vagas para o cargo de analista:

Com salário de R$20,9 mil, concurso do BNDES terá provas na Capital

Confira o edital completo aqui.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).