Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Reconhecimento de dívida explica déficit primário em julho

Em julho, o Tesouro desembolsou R$ 7,202 bilhões em subsídios e subvenções
27/08/2015 20:00 - AGENCIA BRASIL


O reconhecimento de subsídios federais como dívidas a serem pagas aos bancos que operam os financiamentos subsidiados explica o déficit primário recorde em julho, disse hoje (27) o secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive. Segundo ele, o que o governo federal gastou para reduzir o passivo com os financiamentos concedidos a empresários e agricultores, com juros abaixo das taxas de mercado, praticamente equivaleu ao resultado negativo das contas públicas no mês passado.

Em julho, o Tesouro desembolsou R$ 7,202 bilhões em subsídios e subvenções. O gasto representa 99,7% do déficit primário de R$ 7,224 bilhões do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) registrado no mês passado. O déficit primário é o que o governo gasta antes do pagamento dos juros da dívida pública.

Nos sete primeiros meses do ano, o Tesouro gastou R$ 18,519 bilhões no pagamento de subsídios federais. É mais do que o triplo gasto no mesmo período do ano passado (R$ 5,543 bilhões). Segundo Saintive, a diferença é explicada pelo fato de o Tesouro Nacional reconhecer as dívidas com os bancos públicos, operadores de financiamentos subsidiados.

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...