Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SERIAL KILLER

“Confessou de maneira bem tranquila”, diz delegado sobre homem que matou 5

O suspeito estava no local das escavações e agia de maneira natural enquanto o corpo era procurado
15/05/2020 14:31 - Gabrielle Tavares


 

Assassino em série foi preso, na madrugada desta sexta-feira (15), pela morte de José Leonel Ferreira dos Santos, de 61 anos, e mais 4 assassinatos confessos. A busca pelos corpos se iniciou por volta das 3h e devem continuar até o fim do dia. Nesse período, duas ossadas foram encontradas e identificadas como sendo de José Jesus de Souza, de 45, e de Roberto Geraldo, de 48.

Segundo o delegado Carlos Delano, titular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios (DEH), C.S.C, de 43 anos, confessou de maneira tranquila os assassinatos e os locais onde teria enterrado os corpos. “É notável a desvalorização da vida humana. Pelo menos dois a gente sabe que ele já conhecia há meses, do bairro ou então chamava para trabalhar junto, e matava”, disse. 

O perfil das vítimas eram homens que moravam sozinhos, sem família na cidade. Em pelo menos dois casos, a motivação teria sido por bens materiais, onde ele se apropriou de uma casa e de um terreno. Porém, como no terceiro caso o homicídio foi por desentendimento, não é possível afirmar que ele só matava para ficar com os bens materiais das vítimas.  

Depois das confissões, o Batalhão de Choque da Polícia Militar e a DEH começaram a procurar os restos mortais dos outros homens. “Não houve tempo para interrogar ele. Há suspeitas de que a família participou ou, pelo menos, era ciente dos crimes, mas ainda não dá para afirmar porque não houve interrogatório”, explicou o delegado.

Roberto Geraldo foi encontrado na região do bairro Zé Pereira, na avenida José Barbosa Rodrigues. Depois de quatro horas e meia de escavações, a polícia achou ossos das pernas, meias, sapatos e roupa íntimas de Roberto. O corpo estava a cerca de 40 cm de profundidade. Ele foi com o suspeito até o terreno com a intenção de limpar e invadir o local, mas lá, se desentenderam e C.S.C golpeou a vítima na cabeça com o cabo de uma picareta. O autor enterrou o corpo e arma do crime no mesmo lugar.  

De madrugada foi encontrada a ossada de José Jesus de Souza - que estava desaparecido desde fevereiro desse ano -, em terreno baldio no bairro Coophatrabalho. O suspeito se apropriou e vendeu um terreno que pertencia à vítima.  

O primeiro corpo encontrado foi de José Leonel Ferreira dos Santos, de 61 anos, que foi morto dia 2 de maio em sua própria casa. C.S.C teve a ajuda da filha, de 19 anos, para enterrar o homem no quintal. No dia seguinte a família se mudou para a residência, fato que fez um vizinho da vítima desconfiar da família e registrar boletim de ocorrência.

O Batalhão de Choque em conjunto com DEH estavam investigando o suspeito desde a denúncia efetuada pelo vizinho de Leonel, e na madrugada de hoje encontraram o suspeito na casa de parentes. “Ele viu que foi descoberto, não tem mais o que fazer então está colaborando. Ele confessou, a confissão é importante, mas precisamos ter elementos materiais para corroborar com a confissão.”

As escavações para procurar as outras duas vítimas devem seguir até o fim desta sexta-feira, segundo a DEH. 

 
 

Felpuda


Candidato a prefeito em cidade do interior tremeu que só nas bases diante da decisão que tirou a corda do pescoço de adversário, liberando o dito-cujo para disputar a eleição.

Como acreditava que o pleito seria “um passeio”, estava até pensando no modelito que usaria no dia da posse.

Agora, teme nadar, nadar e morrer na beira da praia, deixando o terno pendurado no cabide.